domingo, 22 de janeiro de 2017

Leitura do livro "Diga aos Mórmons que EU os amo" - Capítulo 04

Capítulo 4 – A Maçonaria e seu filho Mormonismo


Instituição soberba.


A doutrina de que trabalho é adoração, é a verdadeira doutrina que tem sido apresentada e mantida, desde um tempo imemorial, como o dogma principal da Ordem da Maçonaria. Não há nenhuma outra instituição humana sob o Sol que tenha estabelecido este grande princípio em tal ousada reparação. (O Simbolismo da Maçonaria, de Albert G. Mackey, Volume 2, pg 88; Editora Universo dos Livros, Edição de Junho de 2008)

Ponto Crítico 1 - A frase “não há nenhuma outra instituição humana” mostra-nos claramente que a Maçonaria não nasceu no coração de Deus, é uma “Instituição Humana”. Ou seja, os “dogmas” citados por ela são de homens, e não de Deus.

Ponto Crítico 2 – A Maçonaria clama para si o mérito de ter instituído o princípio do trabalho como “nenhuma outra instituição humana sob o Sol", essa soberba é típica de Joseph Smith ao afirmar que somente a Igreja SUD é a verdadeira. A mesma soberba maçônica, a mesma auto-exaltação, também percebemos em Joseph Smith.

Se a Maçonaria clamou para si esse título, como fica a igreja SUD quanto a isso? Ela não é a “única igreja verdadeira”? Não é a “pioneira” nas verdades? Qual das duas “instituições” sob o Sol é a verdadeira? A resposta é: nenhuma.

Advogados de defesa de Joseph Smith.

O envolvimento de Smith na Maçonaria não é negado pelos líderes da Igreja SUD, mas não é comentado. Ao tentarem defender seu profeta que jamais deveria ter pisado em solo maçônico, os SUD inventaram várias versões, vejamos:

Versão 1: Defensores de Joseph dizem: ”Joseph foi procurar na Maçonaria algumas ‘verdades’ perdidas com a Apostasia.”

Falha de Joseph: Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão. (Mateus 24: 34)

A Apostasia - Se Smith ensinou que a verdade de Deus foi perdida da Terra, ele está declarando que essa afirmação é falsa e, portanto, chamando Deus de mentiroso e desprezando a fidelidade de Deus. Nunca houve a tal “Apostasia” que Joseph ensinou (veremos esse assunto mais à frente), e por isso não havia motivos para ele estar à procura de alguma “verdade” na Maçonaria.

1) Se os líderes SUD concordam que havia “verdades perdidas” na Maçonaria e que Smith foi até lá pra reavê-las, estão automaticamente concordando que a Maçonaria ficou com uma “parte da verdade” (verdade essa, espiritual) logo: É uma RELIGIÃO. Aqui há uma enorme contradição: Se os tais “Personagens” do bosque ordenaram expressamente que Joseph não se unisse a nenhuma seita, ou grupo, é
por que NENHUMA delas continha a verdade! Então a Maçonaria não tinha “parte da verdade”. Quem mentiu então foi o tal “Personagem” no bosque.

2) Se Smith era um profeta que recebia diretamente de Deus as orientações, por que precisou ir até um Sistema totalmente decaído de moral e de limpeza espiritual para copiar as coisas? O Templo SUD não é sagrado? Porque então lá são feitas imitações maçônicas? Smith não recebeu as ordenanças do Templo e toda a ordem delas diretamente de Deus? Que espécie de Deus Smith servia que precisava plagiar as coisas da Maçonaria, um Sistema decaído que precisou de tanta restauração quanto o resto das religiões do mundo?

Versão 2: Essa versão é mais “humilde”. Os defensores de Smith dizem: “Smith foi até a Maçonaria apenas para ter um grupo ‘forte’ ao seu lado, para aplacar o ódio dos seus inimigos contra a Igreja SUD, buscando tal apoio na Maçonaria. Procurando com isso, evitar a violência contra os membros da Igreja, que realmente era selvagem”.

Falha de Joseph: Eu, eu sou aquele que vos consola; quem, pois, és tu, para que temas o homem, que é mortal, ou o filho do homem, que não passa de erva? Quem és tu que te esqueces do Senhor, que te criou, que estendeu os céus e fundou a terra, e temes continuamente todo o dia o furor do tirano, que se prepara para destruir? Onde está o furor do tirano? (Isaías 51: 12,13)

Ele não precisaria ter se filiado à Maçonaria se confiasse que Deus é o Todo Poderoso para salvar seus servos, sem precisar da ajuda de humanos para isso.

Mas temos que salientar que o deus de Smith é um homem como nós, de carne e ossos, portanto vendo por esse ângulo, é até compreensível o temor de Smith, de ser abandonado por seu deus/homem. (Veremos adiante a doutrina do deus/homem).

1) Se a liderança SUD apóia isso, logo está negando o poder de Deus. Quando Deus chama alguma pessoa para realizar Sua obra, Ele capacita essa pessoa. Ela vai diante de Faraó, como Moisés foi e saiu ileso, e ainda leva consigo despojos de guerra. Joseph não tem justificativa por ter ido buscar suposto apoio em um grupo de homens iníquos. Que tipo de apoio satanistas, cabalistas, ocultistas, espíritas, poderiam ter dado a alguém que teria sido chamado por Deus? Imaginemos Deus falando a Moisés:

-“Veja bem Moisés, eu estou lhe chamando, mas você terá que filiar-se aos feiticeiros do Egito, pois acho que não posso lhe proteger da ira de faraó, portanto, busque auxílio com adoradores do Diabo!” É isso? É assim que Deus age? De forma alguma! Isso é inaceitável!

Versão 3: Defensores de Smith dizem: “Joseph esteve na Maçonaria para realizar-se na vida pessoal”.

Falha: E recebestes a plenitude em Cristo, que é o cabeça de todo principado e potestade. (Colossenses 2: 10) (*Bíblia de referência Thompson – Edição Contemporânea. Tradução João Ferreira de Almeida).

Ele não precisaria ter recorrido à Maçonaria se tivesse Jesus Cristo em sua vida, pois Jesus completa todo vazio, e lança fora toda frustração pessoal.

Versão 4: Defensores de Smith dizem: “Joseph ingressou na Maçonaria apenas para mostrar seu caráter ‘amável’, pelo fato de estar no meio de adoradores do Diabo. E que ele estava lá para ‘demonstrar o amor de Deus’ aos satanistas.”

1) Para os que afirmam isso, a resposta é a seguinte: As nossas boas obras e nossos atos de justiça, são como trapos de imundície diante dos olhos de Deus. Joseph Smith, que é visto pelos SUD como alguém que, depois de Jesus, foi o homem que “mais fez pela salvação da Humanidade” teria então, que ter vivido à altura da classificação que lhe dão.

Joseph Smith, o Profeta e Vidente do Senhor, com exceção apenas de Jesus, fez mais pela salvação dos homens neste mundo do que qualquer outro homem que jamais viveu nele. (Doutrina e Convênios 135:3)

Vamos então colocar Smith “lado a lado” com Jesus:

-Jesus ao ser perseguido, alguma vez, recorreu a ajuda de humanos? Não. Joseph recorreu à Maçonaria.

-Jesus para se tornar “melhor” recorreu aos fariseus, saduceus, ou qualquer outra seita? Não. Joseph recorreu à Maçonaria.

-Jesus para pregar a verdade, recorreu à raça de víboras por mais que fossem “doutores da lei” e tivessem “parte da verdade”? Não. Joseph recorreu à Maçonaria.

Então, Joseph está infinitamente longe da classificação que a Igreja SUD lhe dá! Está longe de ser o segundo depois de Jesus Cristo.

Versão 5: Os defensores de Smith dizem: Joseph buscava se “tornar um homem melhor”, e a Maçonaria poderia fazer isso por ele: Falha de Joseph: Nunca me esquecerei dos teus preceitos, visto que por eles me
tens dado vida. (Salmos 119:93) 

-Se os preceitos de Deus não vivificaram Joseph, porque a Maçonaria poderia fazê-lo?
Livros Apócrifos apoiados pelos Maçons:

Os rabinos, como já havia sido declarado, dividem a glória dessas histórias apócrifas com os maçons; na verdade, há boa razão para uma suspeita de que quase todas as lendas maçônicas devem sua existência ao gênio imaginativo dos escritores do Talmude judaico. (O Simbolismo da Maçonaria, de Albert G. Mackey, Volume 2, pg 104; Editora Universo dos Livros, Edição de Junho de 2008)

Que tal essa afirmação? Então “quase todas” as lendas maçônicas provêm de histórias apócrifas? E como fica a revelação que Joseph disse ter recebido que dizia:
“Em verdade, assim vos diz o Senhor com referência aos Apócrifos: Há muitas coisas neles que são verdadeiras e estão, na maior parte, traduzidas corretamente. Há muitas coisas neles que não são verdadeiras, que são acréscimos feitos pelas mãos de homens. Em verdade vos digo que não é necessário que se traduza os Apócrifos. (Doutrina e Convênios 91:1-3)

Onde fica então a tal “glória dessas histórias apócrifas”? Não foram adulteradas pelos homens? ”Deus” deu “tanta” importância aos apócrifos que nem mandou que Smith os traduzisse. Por que Smith não traduziu os apócrifos, que estavam repletos de adulterações por mãos de homens, e foi até a Maçonaria, realizar rituais que são respaldados pelos livros apócrifos?

* O que fazia Joseph num “sistema” que apoiava os livros que ele nem precisou traduzir?

Quem está com a verdade?

(...) grande erro ao chamar o grau de Grão-Mestre de uma instituição cristã. É certo que ele engloba dentro de seu esquema as grandes verdades do Cristianismo sobre o assunto da imortalidade da alma e a ressurreição do corpo, mas isso devia ser presumido, porque a Maçonaria é verdade, e o Cristianismo também, e toda verdade deve ser idêntica. (O Simbolismo da Maçonaria, de Albert G. Mackey,Volume2, pg67; Editora Universo dos Livros, Edição de Junho de 2008) – Grifo meu.

Acredito que esse é o ponto fundamental de tudo isso que temos visto: O que Joseph Smith fazia na Maçonaria sendo que esta acredita (de um jeito totalmente diferente), que o cristianismo é a Verdade? Se a maçonaria é tanto verdade quanto o Cristianismo, porque Smith não optou pelo Cristianismo?

-Se a Maçonaria é “verdade”, e os ensinamentos de Joseph também são ”verdade”, por que são tão diferentes? Se eu desejo ir até a Europa, vou a uma agência de viagens e a atendente me informa: - “Existem voos de 45 minutos e voos de 12 horas, porém ambos chegam à Europa ao mesmo tempo.” Eu saberia pela lógica que tal informação é falsa. Assim como afirmar que a Maçonaria tem a verdade e o Cristianismo também a tem. Como pode haver verdades diferentes que levam a um lugar igual: Céu? É impossível! A Maçonaria se propõe como verdade, mas alega que o cristianismo também é, e o Mormonismo alega o mesmo, e todos sendo tão diferentes alegam apontar para uma eternidade “bela com Deus”?! Irreal! Somente o Caminho Jesus, nos leva a Deus o Pai.

- Se a Maçonaria declara que é “verdade”, porque Smith não ficou em tempo integral com a “verdade” da Maçonaria? Não era “idêntica” a “verdade” ensinada por ele na Igreja SUD? O que fazia então o “profeta” em outra instituição que se declara detentora da “verdade”.

-Se a Maçonaria diz que tem a verdade, e Joseph declara que também tem a verdade, quem está afinal, dizendo a verdade? Nenhum dos dois, pois a Maçonaria proíbe qualquer menção sobre Jesus, e Joseph acatou tal ordem, ou seja, ambos rejeitaram a única Verdade: JESUS.

Não podemos deixar de fazer uma correção muito útil na afirmação do Sr. Mackey, ele diz que o “Cristianismo é verdade “também”. Não existe esse “também”. Um “também” abre espaço demais para coisas que Jesus não permite. É o caminho “genérico” para a salvação, que foi mencionado no começo deste livro.

Joseph, um mero investigador

O maçom é desde o momento de sua iniciação como Aprendiz até o momento em que recebe toda afruição da luz maçônica, um investigador - um operário na pedreira e no templo- cuja recompensa deve ser a Verdade. (O Simbolismo da Maçonaria, de Albert G. Mackey, Volume2, pg 50,51; Editora Universo dos Livros, Edição de junho de 2008) – Grifo meu.

Foi a isso que Joseph, “o grande profeta”, submeteu-se: Ser considerado um “investigador”. O que ele investigava? Não estava satisfeito com as instruções recebidas por Morôni? A recompensa dele seria a “verdade”, mas ele já não tinha a “verdade”? Ao menos era isso que ele alegava! O que ele “pesquisava” na Maçonaria? Quanto à Maçonaria recompensar o tal pesquisador com a verdade, isso é uma grande mentira. O objetivo principal da Maçonaria é descobrir qual é o nome “secreto” de Deus, e depois de muito penar na maçonaria, é revelado ao candidato que esse nome “foi perdido para sempre”. O candidato já está imerso num mar de imundície e descobre que não saberá jamais o tal “nome perdido”, ou “palavra perdida”.

Malignidades da Maçonaria.

Outras Sociedades secretas ocultistas têm ligação profunda com a Maçonaria. Dentre as quais podemos citar: Os Illuminati, Os Templários, a Ordem Rosacruz e a Cabala. Todos, sistemas opostos ao que Deus declara em Sua Palavra, a Bíblia. A Cabala está fortemente ligada com o Neo paganismo e à Nova Era (New Age). Os Illuminati também são conhecidos como “Grande Fraternidade Branca ou Argentinium Astrum” (Estrela Prateada). É um grupo de bruxos poderosos que selecionam os maçons de 33° Grau para se unirem a eles. A Ordem Rosacruz foi como que a semente inicial da Maçonaria, é uma mistura de bruxaria, paganismo e alquimia. É como uma grande rede maligna, onde uma Sociedade é ligada à outra.

Na verdade é o mundo caminhando para a unificação da religião, e o governo do anticristo.

Por que Deus abomina a Maçonaria?

Além de todos os motivos que já vimos até aqui, a Maçonaria construiu templos para idolatria:

A Maçonaria, como arte operativa, é familiar a todos. Sendo assim, ela está engajada na aplicação das regras e princípios da arquitetura, na construção de edifícios para uso público e privado- casas para habitação de homens, templos para a adoração de divindades. (O Simbolismo da Maçonaria, de Albert G. Mackey, Volume1, pg 60; Editora Universo dos Livros, Edição de Junho de 2008) – Grifo meu.

Deus abomina toda adoração a qualquer divindade que exista. Somente Ele é digno de adoração:
A ti te foi mostrado para que soubesses que o SENHOR é Deus; nenhum outro há, senão ele. (Deuteronômio 4: 35)

Maçonaria, a matriz do Mormonismo.
Muitas coisas, existentes na Maçonaria, Smith copiou para o Mormonismo:

Novo Nome - Quando um Maçom alcança o 3° grau, durante a seção de Exaltação*, ele também passa a ser chamado pelo seu novo nome, chamado também de Nome Simbólico (escolhido pelo maçom previamente). Este nome somente é usado e revelado dentro do Templo Maçônico e em reuniões de Mestres-Maçons.

A diferença que ocorre na Igreja SUD é que o novo nome é recebido de um homem que trabalha realizando ordenanças no Templo. Jamais pode ser revelado, a não ser em um local específico, durante a seção de Investidura, nem esquecer por toda a sua vida. O novo nome que uma mulher SUD recebe, é revelado apenas ao seu marido dentro do Templo, já o marido, jamais revela seu novo nome à sua esposa.

Joseph Smith então tinha dois “novos nomes”, um dentro da Maçonaria, outro dentro do “mormonismo”, afinal, qual deles era válido?

* Na Maçonaria existe essa seção, mas, para o Mormonismo a “Exaltação” é no céu, no momento em que o mórmon obediente torna-se “deus”.

Nós preferimos esperar pelo novo nome que o Senhor Jesus nos dará lá no céu. O ouviremos Dele, e não de algum humano:

Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe. (Apocalipse 2: 17)

Confirmação de casamento e Selamento - Na Maçonaria, existe uma cerimônia especial para os casais, que se chama Confirmação de Casamento, e só pode ser realizada após uma casal estar legalmente casado. É algo bem parecido com a ordenança de Selamento para o Tempo e a Eternidade, dentro de um Templo SUD (as mulheres dos maçons podem participar de reuniões específicas aonde são aceitas somente mulheres).

Havia muita contradição entre o agir e o falar de Joseph Smith, ele ensinava que somente dentro do Tempo SUD eram válidos tais selamentos, mas concordava com os rituais maçônicos que realizavam essas ordenanças em templos Maçônicos (e não SUD). É uma incoerência, já que ele não se decidia jamais sobre qual das ordenanças realmente era tida como válida.

O fermento maçônico 

Imaginemos que confusão seria se Deus dissesse a Moisés e Arão: - “Podem copiar alguns dos rituais dos feiticeiros de Faraó”. Muito pelo contrário, eram os feiticeiros do Egito quem copiavam as pragas que Deus enviava:
Arão estendeu a mão sobre as águas do Egito, e subiram rãs e cobriram a terra do Egito. Então, os magos fizeram o mesmo com suas ciências ocultas e fizeram aparecer rãs sobre a terra do Egito. (Êxodo 8:7)

(...) Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? (1 Coríntios 5:6)

Um pouco de “fermento” maçom levedou toda a “massa” de Joseph Smith. Na verdade, a “massa” de Smith já estava levedada há muito tempo. Desde que ele se desviou da Bíblia para inventar seus próprios meios de chegar-se a Deus, com suas “facilidades”, com suas salas V.I.P. espirituais.

Smith, o falso mártir.

Existe um grande equívoco que assola a vida dos SUD até hoje, e é o fato de considerarem Joseph Smith um “Mártir”. Até entendemos o amor que devem sentir por ele, respeito, etc. Mas vamos pôr o “pingo no ‘i’”! Primeiramente, o que é um “mártir”?

Segundo o dicionário “Mini Aurélio”, mártir é: 1. Quem sofreu torturas ou morreu por sustentar a fé cristã; 2. Quem sofre muito.

Se os líderes SUD querem lançar sobre Smith esse título pelo item número um do dicionário, estão cometendo um equívoco. Primeiramente, porque Smith não morreu por “sustentar a fé cristã”. Ele morreu por que ordenou a destruição de uma gráfica, e isso é um crime que deixou as pessoas revoltadas (na verdade, já havia uma grande revolta contra Smith e seus desvarios, a destruição da gráfica foi a gota que faltava). Não houve nada de ”fé cristã” envolvida na destruição da gráfica. Foi a ignorância de Smith. Jamais houve fé cristã na vida de Smith, já que a fé Cristã abraça a Bíblia como regra de fé, e ele a rejeitou como um material duvidoso, incompleto, lançando holofotes sobre seu livro recém escrito, o Livro de Mórmon.

Gráfica, o caminho para o assassinato...

Joseph Smith não morreu de causas naturais. O ódio que ele incitou no coração dos homens de sua época foi intenso, e Smith foi assassinado. O estopim para esse desfecho foi que um jornal havia publicado várias notícias “anti-mórmon”, como são chamadas todas as coisas que falam negativamente dos SUD. Smith ficou enfurecido com o jornal, e ordenou que alguns homens da Igreja SUD destruíssem a gráfica aonde o jornal era impresso. O resultado não poderia ter sido outro, todos foram presos no dia 24 de Junho de 1844:

“Em 10 de junho de 1844, Joseph Smith, que era prefeito de Nauvoo, e o conselho municipal de Nauvoo ordenaram a destruição do jornal Nauvoo Expositor e da prensa na qual ele era impresso. O Nauvoo Expositor era um jornal antimórmon que caluniava o profeta e outros santos e exigia a revogação da carta institucional de Nauvoo. As autoridades municipais temiam que essa publicação incitasse as turbas a agirem. Como resultado da ação tomada pelo prefeito [Joseph Smith] e o conselho da cidade, as autoridades do Estado de Illinois acusaram injustificadamente de tumulto o profeta, seu irmão Hyrum e outros líderes municipais de Nauvoo.” (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja - Joseph Smith, Capítulo 46, pg 55 - Edição de 2007).

“Injustificadamente”? Então o que Smith causou não foi um “tumulto”? O que foi então na visão dos líderes SUD? Smith não foi fazer uma “corrida no parque”, ele foi destruir uma gráfica! Smith teve uma péssima postura! Jesus em momento algum mandou destruir a sinagoga de algum fariseu apenas por que falavam mal dele!

Quando tentavam matá-lo, ele apenas se ausentava.

Todos eles acabaram presos na cadeia de Carthage. A cadeia tinha dois andares, e eles estavam presos no segundo andar. No dia 27 de Junho de 1844, um grupo de cerca de 150 homens invadiu a cadeia, e o primeiro a ser atingido pelos tiros foi Hyrum Smith, irmão de Joseph. Que quando foi atingido disse: -“Sou um homem morto”. Smith ainda atirou em três homens, e tentou pular a janela, foi atingido pelos tiros, e acabou caindo pela janela já sem vida.

Todas as palavras que Smith dizia, eram tidas em alta conta por todos os SUD, que criam que ele falava inspirado por Deus. E exatamente no dia em que foi morto, ele escreveu pela manhã uma carta para um de suas esposas Emma Hale, que dava a entender que nada aconteceria a eles:

Dia 27 de junho de 1844: ”Você não precisa ter medo de que algo de mal seja feito contra nós por esse motivo. Que Deus abençoe todos vocês, Amém. (Extraído da Biografia de Joseph Smith: “No Man Knows my History”, de Fawn. M. Brodie, Chapter XXVII- Carthage; PP 391-Second Edition, Vintage Books, 1971; ‘Nenhum Homem Conhece Minha História; Livro disponível apenas em Inglês)

Nada de mal? E um assassinato é o quê? Provavelmente Smith, pensava que sairia ileso da prisão quando escreveu isso para Emma. Existe muita especulação sobre o envolvimento de maçons na morte de Smith. Um dos sinais que os maçons usam para pedir socorro quando estão em perigo, é dizer a frase: “Não há socorro para o filho da viúva?” Essa frase, é uma espécie de “palavra chave”, e se houver algum maçom por perto, tem obrigação sob juramento, de ajudar aquele que está em apuros.

Existem boatos de que Smith teria dito isso minutos antes de ser atingido, na esperança de que houvesse algum maçom no meio do grupo enfurecido. O problema é que Smith tinha “pisado na bola” com os maçons e copiado tantas coisas dos rituais maçônicos que isso desagradou profundamente os maçons. Uma das “lições” que os maçons dão a algum membro rebelde que esteja “abrindo demais a boca” é um banho de piche, e logo após, cobrem o rebelde com penas, e essa lição foi aplicada em Joseph num dia de inverno severo. Smith estava em casa com uma de suas esposas e seu bebê, e um grupo de maçons invadiu a casa, o arrastou para fora, o cobriu de piche e penas e o espancaram. Smith ficou mal vários dias e devido ao frio que entrou na casa no momento que os homens a invadiram, seu bebê que estava doente faleceu. (Ver Ensinamentos dos Presidentes da Igreja – Joseph Smith. pg 238). Após terem circulado os rumores de que havia maçons envolvidos na morte de Smith, os membros da Igreja SUD evitaram a maçonaria por muitos anos.

Por onde andou a autoridade?

Após a morte de Joseph Smith, os SUD ficaram três anos inteiros sem nenhum homem que os orientasse na condição de “profeta”. É importante lembrar que, após a morte dos Apóstolos os SUD alegam que a “autoridade de Deus” foi retirada da face da terra. E quando Smith morreu então, por onde andou a tal “autoridade”?

Por três anos (e não três dias) os SUD ficaram “no escuro”. Por que “Deus” não restaurou novamente o Evangelho? Foram três anos sem um líder... Interessante que os SUD podem ficar sem líderes e a autoridade continua “pairando” sobre eles, mas os antigos cristãos não. Porque essa acepção? Porque essa exclusividade?

Deus só é fiel aos SUD? *Veremos adiante a história da “autoridade”.

Sede por poder.

Algo surpreendente é que Brigham Young, (o homem que depois veio a ser o sucessor de Smith) quando soube da morte do profeta, “declarou que desejava apenas saber o que Deus tinha a dizer a respeito de quem deveria liderar a Igreja”. (Nosso Legado, Capítulo 5, pg 66; Edição de 1996). Comovente o “pesar” de Brigham não? Em vez de perguntar pelas esposas e filhos de Smith, ele pergunta sobre a liderança da Igreja! Nos discursos sobre a morte de Smith, vários homens próximos a Smith discursaram:

Sidney Rigdon falou na seção matutina por mais de uma hora. Praticamente ninguém o apoiou. (...) Após seu discurso, o presidente Young [Brigham] pediu a Sidney Rigdon que falasse, mas ele não quis. (Nosso Legado, Capítulo 5 p 66,67 - Edição de 1996) – Grifo meu.

É apenas impressão, ou Sidney Rigdon ficou “emburrado”, por não ter tido apoio de “ninguém”? O que acho interessante, é que os líderes SUD manipulam os textos de sua própria história! Muita gente apoiou Sidney, afinal, ele era o “Primeiro Conselheiro de Joseph Smith”, não era um “qualquer”. Ele havia auxiliado Smith escrevendo a tal tradução “inspirada” da Bíblia [Ver apêndice de Doutrina e Convênios seção 35]. E sobre Sidney, uma suposta revelação de Deus dizia:

“Eis que em verdade, em verdade digo ao meu servo Sidney: Tenho olhado para ti e tuas obras. Ouvi tuas orações e preparei-te para uma obra maior. Bendito és, porque farás grandes coisas. Eis que foste enviado, assim como João, para preparar o caminho diante de mim e diante de Elias, o profeta que deveria vir e tu não sabias. (Doutrina e Convênios 35:3,4)

Será que o povo não se lembrou disso? Que Sidney “faria grandes coisas”, e que fora enviado “como João”? Claro que sim, por isso o grupo rachou ao meio. Mas isso nós não lemos com muita facilidade nos registros da Igreja SUD. Não convém a eles que seja exposto que um grupo também numeroso apoiou Sidney como novo profeta. Afinal, era ele quem tinha estado ao lado de Smith por tantos anos, e não Brigham, que ao saber da morte de Smith queria apenas saber “como ficaria a liderança da igreja”. Os líderes manipuladores, dizem que Sidney “apostatou” e “foi excomungado” (Guia de Estudo das Escrituras, pg 184). Isso é uma mentira, ele apenas saiu do grupo, pois percebeu que Brigham estava manipulando a situação, por ganância de poder.

A parte do povo que “escolheu” Brigham Young, o fez, alegando que após terminar um discurso, seu rosto tinha ficado semelhante ao de Joseph Smith, então eles decidiram que Brigham Young seria seu novo profeta. E foi nesse momento que houve uma séria divisão na Igreja SUD. Muitos membros não concordaram com isso, incluindo Emma Hale, uma das esposas de Joseph Smith. Os membros que discordaram, afirmavam que quem deveria ocupar o lugar do profeta era unicamente seu filho Joseph Smith III, que era ainda um menino de 11 anos. O grupo se partiu em dois. Os que apoiavam Brigham Young ficaram conhecidos como Brighamitas, que é o maior grupo, e os que apoiavam que o filho de Smith assumisse o posto de profeta são o menor grupo, chamado de “A Igreja de Cristo”, ou também chamados de “A Igreja Reorganizada de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”. Atualmente eles mudaram de nome, o nome que usam agora é “Comunidade de Cristo. O filho de Smith, Joseph III assumiu seu “papel de profeta” muitos anos mais tarde, quando era um jovem. As igrejas rachadas, que surgiram
das discordâncias, existem até hoje e são inúmeras.

O maior grupo, que estava sob a liderança de Brigham Young, fundou a cidade de Salt Lake City. Alguns SUD desse grupo enviaram cartas solicitando filiação à Grande Loja [Maçônica] do México, do Canadá e da Inglaterra, mas não obtiveram autorização para estabelecerem nenhuma Loja maçônica em Salt Lake. Tal afastamento da maçonaria durou até o ano de 1984, quando o então presidente da Igreja SUD, Spencer W. Kimball, em uma reunião com o Grão Mestre da Grande Loja de Salt Lake (Utah) em um hotel de propriedade da Igreja afirmou:

“A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias nada tem contra qualquer organização que pratique atos louváveis”. Em contra partida o Grão Mestre disse: “A Maçonaria de Salt Lake City nada tem contra A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”. Talvez a memória do presidente Kimball tenha falhado, e ele não tenha notado que os maçons mais influentes de todos os tempos detestavam Deus.

Como as coisas estão hoje?

Atualmente, muitos líderes SUD são integrantes da maçonaria, e apóiam a participação de Smith na Ordem, ignorando todos os problemas que isso representa. A conclusão que chegamos é que o ser humano reluta em admitir que anda por um caminho tortuoso, preferimos manter as aparências a admitir nossos erros. Que Deus, com Sua maneira única de trabalhar, convença-nos do pecado...

Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. (João 16: 7,8)

Continue a leitura:

Capítulo 1 - Traídos pela própria fé

Capítulo 2 - Somente eu fiquei

Capítulo 3 - Um bosque, dois Personagens e um jovem

Capítulo 4 - A Maçonaria e seu filho Mormonismo

Capítulo 5 - Joseph Smith ou Joseph Cristo?

Capítulo 6 - E Deus criou... Deus?

Capítulo 7 - O jogo dos sete erros, ou dos 3.193 erros?

Capítulo 8 - Deem uma agenda para Jesus!

Capítulo 9 - Negros – A cor do Sacerdócio

Capítulo 10 - Eu os declaro marido e ... mulheres?

Capítulo 11 - “Diga aos Mórmons que Eu os amo...”


Veja também:

Joseph Smith na Maçonaria - Veja o que um Ex-Maçom tem a dizer no video "Eu servi Lúcifer sem saber":


O ex-maçom francês Serge Abad-Gallardo, esteve na Maçonaria por 24 anos e escreveu três livros: Eu servi Lúcifer sem saber, Porque deixei de ser maçom e Eu bati à porta do Templo.

Joseph Smith fez mais do que Jesus?



Testemunho de Ex-Bispo Mormon - Lee Baker

*


Testemunho de Lynn Wilder, ex-Professora da Brigham Young University (BYU)
 e de como seu filho, foi excomungado.




Testemunho de MicahWilder, Ex Elder: Sei que a Igreja e verdadeira:




Licença Creative Commons ----    Licença Creative Commons



Diga aos Mórmons que Eu os amo é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported. [TAGS: onde comprar Diga aos Mórmons que Eu os amo, download, grátis, gratuito, de graça, ler, baixar, upload, mormonismo, maçonaria, Joseph Smith, GADU, G.A.D.U., Grande Arquiteto do Universo, ritos, rituais, rito escocês, rito de york, companheiro, companheiros, com um acordo, gestos, sinais, William Schnoebelen, graus de glória, exaltação, deuses, deus homem, maçom, maçons, maçônico, maçônica, maçônicos, maçônicas, Loja Azul, Grande Oriente, GOB, Tubalcaim, batidas, Mestre maçom, Grau 33, 33° Grau, Grão Mestre, Druida, ofício, sacerdócio, sacerdotal, Templo, Salt Lake City, Utah, SUD, LDS, Santos dos últimos dias, santo dos últimos dias, missionário, porta a porta, ala, estaca, regional, reunião sacramental, ceia, livro de mórmon, morôni, Presidente Gordon, No man Knows my History, Albert G. Mackey, Albert Pike, o simbolismo da maçonaria, Morals and Dogma, As Constituições de Anderson, Old Charges, O DNA e o Livro de Mórmon, Levantando o Véu da Poligamia, O livro perdido de Abraão, Satanismo, Ocultismo, Museu de História Mórmon, compasso, esquadro, sinais maçônicos, cumprimentos, aperto de mão, sinalizar, não há socorro para o filho da viúva, Hiram Abiff, batidas na porta, maçonaria por trás de portas fechadas, expondo os Illuminati do âmago, livros evangélicos grátis, livros grátis, livros para download gratuito, livro de estudo sobre Maçonaria para baixar, livro de estudo sobre Mormonismo para baixar, E-book grátis, E-book sobre Mórmons,]

Nenhum comentário:

Postar um comentário