domingo, 22 de janeiro de 2017

Leitura do livro "Diga aos Mórmons que EU os amo" - Capítulo 09

Capítulo 9 – Negros- A cor do Sacerdócio...


Parte 1- Smith, o profeta ideal: Loiro e de olhos azuis

Para alguém como Smith, que tinha seu pai e seu irmão na Maçonaria, (que como vimos, é uma “Fraternidade BRANCA”, ou seja, racista) é até compreensível que ele tenha sido influenciado pelo racismo de seus parentes. Smith tentou através do Livro de Mórmon, determinar em que momento da humanidade surgiu a raça negra, que é chamada por ele de “Lamanitas”. É muito natural nas pinturas SUD que retratam Smith, ele aparecer com ar superior, obviamente com cabelos sedosos e loiros, e com olhos profundamente azuis. Uma imagem muito distante do que o próprio Smith fazia de si como o tal “menino obscuro” que era manco.

Joseph, que estava com sete anos na época, desenvolveu uma grave infecção na perna esquerda. (...) suportou as dores quando o cirurgião fez a incisão na perna e raspou parte do osso. A cirurgia foi um sucesso, embora Joseph tivesse que caminhar por vários anos com a ajuda de muletas e tenha ficado discretamente manco pelo resto da vida. (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja - Joseph Smith, Vida e Ministério de Joseph Smith, pg 03)

Quando Smith foi assassinado, os SUD fizeram um molde do seu rosto e do rosto do seu irmão em gesso, e existe uma pintura que historiadores em unanimidade concordam ser a imagem de Joseph Smith, pois combina com o tal molde. E a imagem está muito longe de suas gravuras que vemos no Livro de Mórmon e em sites SUD.

Racismo: A mancha do ódio 

Racismo é a mancha que está impregnada na história da Igreja SUD. Os membros da Igreja geralmente não gostam de falar nesse assunto, pois alegam que “isso fez parte da história da Igreja, num passado distante”. Mesmo assim não podemos deixar de salientar o racismo contido nas páginas muito atuais do Livro de Mórmon.

Mesmo que os SUD defendam seus líderes, dizendo que atualmente os negros têm os mesmos direitos que os brancos dentro da Igreja, as declarações feitas pelos líderes SUD passam longe do amor que Jesus proclama na Bíblia. E falando em Bíblia: Louvado seja Deus que nela não lemos nenhuma única citação sobre a cor de alguém! Veremos declarações fortes, mas que precisam ser expostas, para que a verdade venha à luz, pois muitos membros desconhecem tais citações:

Encontrando agulha no palheiro

O grande problema que impede os SUD sinceros de realizarem uma pesquisa proveitosa sobre o assunto, é que o material Journal of Discourses (Jornal de Discursos) é muito extenso, e difícil de ser encontrado em português. Nesse material (que chamarei de Jornal), estão vários discursos de líderes da Igreja SUD, tanto profetas, quanto apóstolos, e outras autoridades. Os discursos são longos, podem chegar a 20 páginas cada. Por exemplo, um profeta “X”, estava discursando sobre o sacrifício de Jesus, e depois de umas 15 ou 20 páginas, ele cita uma única frase que ofende os negros. Mas, como o discurso é longo, o membro que está engajado na pesquisa, acaba não lendo o discurso todo, e fica com a impressão de que o tal profeta “X”, é uma “benção de Deus”.

A Igreja SUD disponibiliza na íntegra todos esses Jornais pela Internet, o problema é que todos estão em inglês, e não são todas as pessoas que estão dispostas a traduzirem inúmeras páginas de discursos repetitivos. A tarefa de encontrar as famosas declarações racistas é como “encontrar agulha no palheiro”. No meio de um discurso gigantesco de trinta páginas, em um assunto que aparentemente nada tem a ver com os “Lamanitas” (negros), a pessoa pode encontrar uma linha com expressões racistas, e essa única linha pode estar no final do discurso, ou no meio, portanto, a pessoa que está pesquisando, precisa ter muita paciência.

Negros: bem vindos ou não?

Nas reuniões SUD, é muito difícil ver uma pessoa negra. Eu particularmente, em três anos de convivência direta com os SUD, e visitas a muitas Alas de Curitiba, conheci apenas uma moça, membro SUD que era negra. Ao questioná-la do motivo de filiar-se a uma igreja que dizia que ela era “amaldiçoada”, ela foi muito sincera, e disse-me que só o tinha feito para conseguir casar-se com um estrangeiro. E estava conseguindo, pois era noiva de um francês membro da Igreja, com quem acabou se casando e hoje ela mora na França. Mas somente ela, de toda sua família, era membro da igreja SUD, e aceitava ser vista como amaldiçoada.

Amaldiçoados por “apenas” 148 anos, e agora?

Toda essa história estranha da origem dos negros está descrita no Livro de Mórmon, nele podemos ler a história dos dois irmãos de Néfi: Lamã e Lemuel, ambos sempre estão discordando de Néfi e o afrontando. Néfi sempre está em retidão e seus irmãos em rebeldia. Então algo incrível e muito estranho acontece:

”Deus” resolve que irá amaldiçoar os irmãos de Néfi e todos os seus descentes. “Deus” os torna negros, veja:

“E eis que as palavras do Senhor com referência a meus irmãos foram cumpridas, quando lhes disse que eu seria seu chefe e seu mestre. [...]E ele fez cair a maldição sobre eles, sim, uma dolorosa maldição, por causa de sua iniqüidade.Pois eis a que haviam endurecido o coração contra ele de tal modo que se tornaram como uma pedra;e como eram brancos, notavelmente formosos e agradáveis, a fim de que não fossem atraentes para meu povo o Senhor Deus fez com que sua pele se tornasse escura. E assim diz o Senhor Deus: Eu farei com que sejam repugnantes a teu povo [...]” (Livro de Mórmon - 2 Néfi 5: 19 - 22)

Segundo Smith, os negros são “repugnantes” ao povo de Néfi (que são os brancos). E mais, veja a “singela” descrição dos negros no Livro de Mórmon:

“E aconteceu que vi que depois de haverem degenerado, caindo na incredulidade, tornaram-se um povo escuro, sujo e repulsivo, cheio de preguiça e todo tipo de abominações.” (Livro de Mórmon - 1 Néfi 12: 23)

Mas apesar de os negros serem tão mal vistos assim pelos líderes SUD, o Evangelho é para todos (ao menos o verdadeiro Evangelho do Senhor Jesus). O Evangelho Restaurado por Smith não o é. Ele exclui os negros, proibindo-os de atuarem nos afazeres concernentes à casa de Deus. E eu digo isso no presente, porque Smith, até sua morte, defendeu essa causa, foram 148 depois da fundação de Igreja SUD que os negros foram autorizados a participar dos afazeres na “casa de Deus”.

Durante muitos anos, por acreditarem que os negros são amaldiçoados, os líderes SUD diziam que “Deus” teria restringido a atuação deles na “sua obra”. Os negros eram impedidos de praticarem o sacerdócio, ou seja, não podiam ter cargos dentro da Igreja SUD. Isso, segundo os líderes SUD, fazia parte da maldição imposta por “Deus” sobre eles.

Por longos 148 anos os negros foram proibidos de exercer qualquer cargo dentro da igreja SUD. Desde a sua fundação em 06 de abril de 1830, até a “pequena” mudança nas leis da Igreja em 30 de setembro de 1978. Que ocorreu, como sempre, por conveniência. Tudo que os líderes SUD mudam, é por mera conveniência. Dessa vez, o motivo da mudança foi a construção de um Templo no Brasil.

O Brasil tem em sua população um grande número de negros. Era praticamente impossível que o Mormonismo fosse bem sucedido sem que essa restrição fosse removida. Como os seres humanos são ambiciosos por cargos, os líderes SUD sabiam que se “autorizassem” os homens negros a participar do Sacerdócio, haveria um bom número atrás de poder... Portanto, decidiram “conceder” o Sacerdócio (direito de exercer um cargo) aos negros também.

O que os líderes SUD disseram sobre os negros:

1) Joseph Fielding Smith:

"Não foi apenas Caim chamado a sofrer, por causa de sua maldade, mas ele se tornou o pai de uma corrida inferior. A maldição foi colocada sobre ele é a maldição que tem prosseguido através de sua linhagem e deve fazê-lo enquanto perdurar o tempo. Milhões de almas têm chegado a este mundo amaldiçoadas com uma pele negra e têm sido negado o privilégio de sacerdócio e à plenitude das bênçãos do evangelho. Estes são os descendentes de Caim. Além disso, foram feitos para sentir sua inferioridade e foram separados do resto da humanidade, desde o início. Enoque viu o povo de Canaã, descendentes de Caim, e ele diz, "e havia uma escuridão que veio sobre todos os filhos de Canaã, que eram desprezados entre todas as pessoas". (O Profeta Joseph Fielding Smith The Way to Perfection, pp. 101-102, 1931) – Grifo meu.

Aqui existe um sério erro por parte de Joseph Fielding Smith, um dos presidentes que sucedeu Joseph Smith Jr.; Fielding declara que a maldição sobre os negros continuaria enquanto “perdurasse o tempo”, ou seja, para sempre! E não foi isso que aconteceu. O que será que Fielding diria se estivesse vivo hoje e visse os negros assumindo o Sacerdócio? Fielding foi profeta da Igreja SUD durante certo período de tempo, e tudo que um profeta SUD fala é tido como regra, e levado a sério pelos SUD. Então, ao declarar que a suposta maldição dos negros duraria enquanto “perdurasse o tempo”, ele aniquila qualquer possibilidade de mudança na situação.

Ele declara também que os negros estão separados do resto da humanidade. Essa declaração é extremamente racista, egoísta e desprovida do amor incondicional de Deus.

2) Brigham Young – Esse homem assumiu a presidência da igreja SUD três anos após a morte de Smith. Ele era extremamente racista, mas seu racismo não era apenas contra os negros. Veremos adiante que Brigham odiava também aos judeus:

"Você vê algumas classes da família humana que são negros, toscos, sem graça, desagradáveis e baixos em seus hábitos, selvagens, e aparentemente privados de quase todas as bênçãos da inteligência que geralmente são oferecidas à humanidade. O primeiro homem que cometesse o odioso crime de matar um de seus irmãos seria amaldiçoado [...]. Caim matou seu irmão. Caim poderia ter sido morto, o que teria levado à extinção essa linhagem de seres humanos. Não era para ser assim, e o Senhor colocou sobre ele uma marca, que é o achatamento do nariz e pele preta. Estabelece-se a humanidade depois do dilúvio, e, em seguida, uma outra maldição é pronunciada sobre a mesma raça - que deveriam ser os "servos dos servos", e eles serão, até que a maldição seja removido, e os abolicionistas não podem ajudá-los[...]” (O Profeta Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 7, p. 290, 1859)

O racismo de Brigham transbordava, fluía como uma fonte de água podre, direto de seu coração racista:

Porque a boca fala do que está cheio o coração. (Mateus 12: 34)

Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem. (Mateus 15: 18)

Brigham Young após incluir várias ofensas aos negros, explica aqui que o “primeiro negro” foi Caim, que foi amaldiçoado com “achatamento do nariz e pele preta”, isso é inconcebível. A maldição que Deus colocou em Caim foi: “Andar errante e fugitivo pela terra, e não receber da terra do seu esforço”, o tal “sinal” foi colocado em Caim para ninguém matá-lo, e não como sinal de maldição! Tampouco tal sinal é descrito na Bíblia como a cor negra na pele! Isso é fruto de mentes de maçons racistas como dos líderes SUD!

E disse Deus: que fizeste? A voz do sangue de teu irmão clama da terra a mim. És agora, pois, maldito por sobre a terra, cuja boca se abriu para receber de tuas mãos o sangue do teu irmão. Quando lavrares o solo, não te dará ele a sua força; serás fugitivo e errante pela terra. Então disse Caim ao Senhor: É tamanho o meu castigo, que já não posso suportá-lo. Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua presença hei de esconder-me; serei fugitivo e errante pela terra; quem comigo se encontrar me matará. O Senhor, porém, lhe disse: Assim, qualquer que matar a Caim será vingado sete vezes. E pôs o Senhor um sinal em Caim para que o não ferisse de morte quem quer que o encontrasse. (Gênesis 4: 10-15)

Caim ainda comenta ANTES de receber o tal sinal: “É maior meu castigo do que poderei suportar”, e a Bíblia é clara ao especificar que o sinal era para que ninguém matasse Caim, e não um “sinal de maldição”, isso é fruto da mente racista de Smith, Brigham e todos os líderes que apoiaram isso um dia (ou apóiam no íntimo do seu coração). Em Deuteronômio capítulo 28, a partir do versículo 15 lemos a lista das maldições, e não está presente nessa lista a mudança na cor da pele.

Os membros atuais podem considerar forte o uso da expressão “racismo”, mas é isso que aconteceu. Joseph agiu com racismo! E então, como explicar a propagação dos negros pelo mundo após do dilúvio? Bem, foi ensinado pelos líderes da igreja que um dos filhos de Noé, Cam, era casado com uma mulher negra:

3) "O filho de Noé Cam casando [ com uma filha de] Egitus , um descendente de Caim, preservou, assim, a linhagem negra por meio do dilúvio." (Apóstolo Bruce McConkie, Mormon Doctrine, p. 527, Edição 1966)

Agora entra aquele sério erro que foi citado no tópico 1: Aqui, o apóstolo Bruce diz que os negros são descendentes de Cam, filho de Noé, e no tópico 1 é dito que aos negros “têm sido negado o privilégio do sacerdócio e à plenitude das bençãos do evangelho”. Bem, não é isso que Deus disse a Cam e a Noé na Bíblia! Lá vemos que Deus declarou BENÇÃOS sobre a vida de TODOS os descendentes de Noé, e isso incluia Cam, e TODOS OS SEUS FILHOS que nasceram se sua suposta esposa negra!

Abençoou Deus a Noé e a seus filhos e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra. (...) Disse também Deus a Noé e a seus filhos: Eis que estabeleço a minha aliança convosco, e com a vossa descendência (...) (Gênesis 9:1,8,9)

A expressão “vossa descendência depois de vós” não sugere os possíveis “negros” que viveram no tempo em que Joseph os proibiu de entrar no Templo? Não inclui todos os negros que foram banidos do sacerdócio durante anos? Deus não muda...

Por que Deus mandou que eles “enchessem a terra”? Se os negros fossem tão detestáveis quanto Brigham sugere, porque Deus faria ALIANÇA com os supostos negros, descendentes de Cam, o filho de Noé? Por que Deus os abençoaria e faria aliança com um povo “detestável’?

"Eu devo dizer-lhes a lei de Deus no que diz respeito à corrida africana? Se um homem branco, que pertence à semente escolhida misturar seu sangue com a semente de Caim, a pena, nos termos da lei de Deus, é a morte. Isso sempre será assim. (O Profeta Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 10, p.110, 1863)

Isso sempre será assim? Não nesse caso! Se Cam era casado com uma mulher negra, por que ele foi então abençoado por Deus, ele e TODA SUA DESCENDÊNCIA? Não deveria ele ser “morto” segundo Brigham Young? Deus abençoou Cam e todos os seus descendentes... Como Brigham explicaria isso? A descendência de Cam foi realmente abençoada por Deus (a despeito do decreto de Noé sobre Cam), lemos o seguinte:

Cuxe gerou a Ninrode, o qual começou a ser poderoso na terra. Foi valente caçador diante do Senhor; daí dizer-se: como Ninrode, poderoso caçador diante do Senhor. [...] (Gênesis 10: 8,9)

Cuche era filho de Cam, e Ninrode, o “primeiro a ser poderoso na terra” era neto de Cam, ou seja, na teoria racista de Brigham Young, era negro. Como então estava sendo tão abençoado, sendo que no tópico 1 lemos que os negros foram feitos assim para “sentir sua inferioridade”? (Ver tópico 1) Será que Ninrode sentiu sua “inferioridade” sendo que começou a ser poderoso na terra? Acredito que não...

Deus aqui estava cumprindo sua promessa de abençoar Noé e “seus filhos”.

5) "E depois do dilúvio nos é dito que a maldição que tinha sido pronunciada sobre Caim prosseguiu através de Cam [filho de Noé] e sua esposa, uma vez que ele casou com uma mulher dessa semente. E porque a fez passar através do dilúvio? Porque era necessário que o diabo tivesse sua representação sobre a terra, assim como Deus ... (O Profeta John Taylor, Journal of Discourses, vol. 22, p. 304, de 1881) – GRIFO MEU.

Provavelmente essa é a expressão mais forte e odiosa, usada por um líder SUD para se referir aos negros. John Taylor os chamou de “representantes do Diabo”! Acredito que nesse momento cada um deve examinar seu coração e avaliar com muita seriedade a doutrina que acredita ser ditada por homens “de Deus”. Sinto que esse é um momento que nada pode ser escrito, a não ser as palavras do próprio Espírito Santo diretamente em nosso coração.

Palavras Preconceituosas:


7) "Aqueles que foram menos valentes na pré-existência espiritual, assim, têm certas restrições que lhes são impostas durante a mortalidade, são conhecidos por nós como os negros". (Apóstolo Bruce R. McConkie, Mormon Doctrine, p. 527, Edição 1966)

Deixaremos que a Bíblia esclareça as coisas:

Caminhando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus [...] cuspiu na terra e, tendo feito lodo com a saliva, aplicou-o aos olhos do cego, dizendo-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que quer dizer Enviado). Ele foi, lavou-se e voltou vendo. (João 9:1-7)

Bem, se os discípulos tivessem perguntado ao “Apóstolo Bruce McConkie”, talvez ele dissesse que o cego “foi menos valente na vida pré-mortal”... Até os discípulos tinham idéias erradas, pois perguntaram se o próprio cego havia pecado para nascer cego. Jesus orientou-os de que nem ele nem seus pais tinham pecado. Se ele não pecou, então por que tinha nascido cego? Exclusivamente para a glória de

Deus! Jesus não atribuiu pecado algum ao homem! Ou seja, descartou a hipótese de “pagar na terra pela falta de valentia na vida pré-mortal”.

(10) “Ainda que ele fosse um rebelde e um associado à Lúcifer na existência pré-mortal,... Caim conseguiu alcançar o privilégio de nascer mortal... e saiu em rebelião aberta, combateu a Deus, adorou Lúcifer, e matou Abel... em conseqüência da sua rebelião, Caim foi amaldiçoado com uma pele escura, ele se tornou o pai dos negros, e aqueles espíritos que não são dignos de receber o sacerdócio, nascem de sua linhagem”. (Apóstolo Bruce McConkie, Mormon Doctrine, pg. 108-109)

Vimos na Bíblia que a maldição que foi posta sobre Caim era “andar errante, e fugitivo pela terra, trabalhar e não obter da terra seu esforço”, essa era a maldição, Deus é claro no momento de fazer tal declaração.

(12) “A mensagem do evangelho de salvação não é realizado afirmativamente a eles [negros]... (Apóstolo Bruce McConkie, Mormon Doctrine, p. 527, Edição 1966)

Quanta diferença havia no ensinamento do “apóstolo” Bruce, se comparado com os ensinamentos do Senhor Jesus:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura. (Marcos 16: 15)

“Toda criatura” inclui negros.

Jesus, aproximando-se, falou-lhes dizendo: [...] Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Marcos 28:18, 19)

“Todas as Nações” incluem negros.

Paulo disse: Pois sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes; (Romanos 1: 14)

Paulo não cita a cor de ninguém. Em todos os textos não vimos em parte alguma a afirmação de que o Evangelho deveria ser pregado de forma negativa...

13 ) "A maldição permanecerá sobre eles, e eles nunca poderão realizar o sacerdócio ou compartilhá-lo até que todos os outros descendentes de Adão tenham recebido as promessas e usufruído as bênçãos do Sacerdócio e as chaves desse fato. Enquanto os últimos remanescentes dos filhos de Adão são trazidos à posição favorável, os filhos de Caim (negros) não poderão receber as primeiras ordenanças do sacerdócio. Eles foram os primeiros que foram amaldiçoados, e eles serão os últimos dos quais a maldição será removida. (O Profeta Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 7, pp. 290-291, 1859) – Grifo meu.

Brigham é claro em afirmar que os negros “nunca” poderão exercer o sacerdócio até que TODOS os filhos de Adão (os brancos) usufruam as bençãos. Um detalhe é que Caim (o suposto amaldiçoado), era “filho de Adão” (o abençoado), não sabemos então, que critério Brigham usou aqui para definir quem era ou não “filho de Adão”, fato é que as palavras de Brigham não foram observadas! Os negros foram autorizados a ocupar cargos no Sacerdócio quando a construção de um Templo SUD no Brasil era inevitável. A igreja SUD mudou drasticamente sua posição quanto aos negros, e tudo que tinha sido dito a respeito dos negros até então, ficou no passado.

No texto seguinte lemos o profeta Brigham Young afirmando que os negros só possuiriam o Sacerdócio DEPOIS da ressurreição!

(14) “Quando todos os outros filhos de Adão tiverem o privilégio de receber o Sacerdócio, e dos que ingressam no reino de Deus, e dos que forem resgatados a partir dos quatro quadrantes da terra, e recebermos SUA RESSURREIÇÃO dentre os mortos, em seguida, será tempo certo para retirar a maldição de Caim e seus descendentes. (O Profeta Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 2, p. 143, 1854) Nota: Aos jovens negros ensinou que não iriam receber o sacerdócio até depois da ressurreição.

O “profeta” errou afinal a ressurreição ainda não aconteceu, e os negros podem ocupar cargos no Sacerdócio desde 1978! Por pura conveniência, claro! Como ficam as valiosas palavras do “homem de Deus”?

Ah, a Palavra de Deus!

Que diferença é lermos a Palavra de Deus:

Porque para com Deus não há acepção de pessoas. Assim, pois, todos os que pecaram sem lei também sem lei perecerão; e todos os que com lei pecaram mediante lei serão julgados. (Romanos 2: 11,12)

Diante de Deus Brigham era tão pecador quanto qualquer homem ou mulher. Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração. (1 Samuel 16:7)

O que será que Brigham diria dessa frase do Todo Poderoso? Deus, que é Deus não olha para as aparências, e Brigham tomou boa parte de seus discursos apenas falando de cores e raças de pessoas… Tempo esse que ele poderia ter usado para falar da salvação proporcionada por Deus… Mas, como falar daquilo que não temos?

Que se conclui? Temos nós qualquer vantagem? Não, de forma nenhuma; pois já temos demonstrado que todos, tanto judeus como gregos, estão debaixo do pecado; como está escrito: Não há justo, nem um sequer, não há quem entenda, não há quem busque a Deus; todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer. (Romanos 3: 9-12)

Brigham: Amando mais o Diabo do que o Povo de Deus! O ódio de Brigham não se limitava aos negros... Ele tinha um ódio especial pelos judeus, o Povo de Deus:

(17) “Eu preferiria me comprometer a converter cinco mil Lamanitas [nativos americano, negros], a converter uma dessas pobres e miseráveis criaturas [judeus] cujos pais mataram o Salvador... Sim, eu preferiria me comprometer a converter o próprio Diabo, se fosse possível... Eu diria aos que aí estão abandonem, e venham para casa, o Senhor não precisa que vocês fiquem aí, pois eles devem sofrer e ser
amaldiçoados... deixem que vivam e morram em seus pecados e na ignorância... Eles se contentam em sua maldade... (O Profeta Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 2, p. 143, 1854) – Grifo meu.

Sentiu o “amor de Deus” nas palavras do falso profeta Brigham Young? Ele declara que preferiria converter 5.000 nativos americanos (índios) a converter apenas UM Judeu, chamando os judeus de “pobres e miseráveis criaturas”. E ele coloca o Diabo acima dos judeus, dizendo que preferiria converter o próprio Diabo! Justamente aquele, que é o maior inimigo das nossas almas (incluindo a alma dos judeus)…

Isso é completamente ofensivo à vista de Deus, os judeus são o povo amado do Senhor! Povo escolhido de Deus, e nada mudará isso jamais. Paulo nos aconselha a não agirmos com soberba para com os judeus:

(...) não te glories contra os ramos; porém, se te gloriares, sabe que não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz, a ti. Dirás, pois: Alguns ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Bem! Pela sua incredulidade, foram quebrados; tu, porém, mediante a fé, estás firme. Não te ensoberbeças, mas teme. (Romanos 11: 18-20)

Porque não quero, irmãos, que ignoreis este mistério (para que não sejais presumidos em vós mesmos): que veio endurecimento em parte a Israel, até que haja entrado a plenitude dos gentios. E, assim, todo Israel será salvo, como está escrito: virá de Sião o Libertador e ele apartará de Jacó as impiedades. (Romanos
11:25-26)

Brigham não amava os judeus, mas Deus os ama!

Quanto ao evangelho, são eles inimigos por vossa causa; quanto, porém, à eleição, amados por causa dos patriarcas; porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis. (Romanos 11: 28,29)

Jesus, que era quem estava crucificado, sentindo todas as dores, disse com relação aos judeus:

Contudo, Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. (Lucas 23:34)

É incrível esse ódio que Brigham tinha dos judeus a ponto de preferir converter o maior inimigo de nossas almas a converter um judeu! Deixe-me lembrar que Jesus morreu pelos judeus também, e não pelo Diabo! Brigham preferiria converter o Diabo... Jesus morreu pelos judeus... Que diferença!

Qual é, pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, sob todos os aspectos. Principalmente porque aos judeus foram confiados os oráculos de Deus. (Romanos 3: 1,2)

Brigham odiava Néfi e Leí!

Brigham está esquecendo que Néfi, Mórmon, Leí, eram todos “judeus”? E por que então Jesus teria tanto interesse nessas “pobres e miseráveis criaturas” ao ponto de visitar os Estados Unidos da América para pregar para os Nefitas? (diga-se de passagem, os Nefitas eram judeus também)… Será que Brigham não tinha lido a Folha de Rosto do Livro de Mórmon, que diz:

”O Livro de Mórmon […] é, portanto um resumo de registro do povo de Néfi e também dos Lamanitas- escrito aos Lamanitas, que são um remanescente da casa de Israel; e também AOS JUDEUS…” (Folha de Rosto do Livro de Mórmon- Edição 1997)

Percebemos que Brigham acabou esquecendo que o próprio Livro de Mórmon declara ter sido escrito por judeus e para judeus. Em parte alguma, lemos que é preferível pregar ao Diabo que a um judeu. Brigham foi extremamente radical em sua colocação. Provavelmente, como a maioria dos líderes SUD, ele nunca leu o Livro de Mórmon, e filiou-se à Igreja em busca de poder. Tanto que após a morte de Smith, e primeira coisa que ele quis saber, era sobre quem lideraria a igreja a partir daquele momento!

“[Brigham] declarou que desejava apenas saber o que Deus tinha a dizer a respeito de quem deveria liderar a Igreja”. (Nosso Legado, Capítulo 5, pg 66; Edição de 1996)

A hipocrisia do Sacerdócio Branco:

Teoricamente, o Sacerdócio não poderia ser exercido por homens negros em hipótese alguma. Mas então apareceu um problema para os líderes SUD: O Brasil. Como pregar um evangelho que ensina que os negros são amaldiçoados, ”representantes de Satanás”, etc., em um País onde grande parte da população é negra?

O primeiro Templo do Brasil foi construído em São Paulo. Sua construção foi anunciada dia 01 de março de 1975, então os líderes começaram a pensar em uma solução para o problema que encontrariam no Brasil: “Como prosperar com uma religião racista em um País de maioria negra?”

A dedicação do Templo de São Paulo ocorreu dia 30 de Outubro de 1978, mas, convenientemente um mês antes, dia 30 de setembro de 1978, o “profeta” da Igreja na época, Spencer W. Kimball declarou ter recebido a autorização de Deus para que os homens “dignos” pudessem entrar no Templo, sem importar sua raça ou cor:

(19) “A Primeira Presidência anunciou que o Presidente Spencer W. Kimball havia recebido uma revelação concedendo o sacerdócio e as bençãos do templo a todos os membros dignos da Igreja do sexo masculino.” (Declaração Oficial- 2; Segundo parágrafo).

Já o Presidente Spencer W. Kimball afirmou que não recebeu revelação “coisa nenhuma”! O que ele teve foi um DESEJO particular de “conceder o Sacerdócio” aos membros “dignos”, mas certamente, a liderança irá manipular as coisas para que fique tudo “certinho”:

(20) “Ao testemunharmos a expansão da obra do Senhor na Terra, sentimo-nos gratos por terem os povos de muitas nações aceitado à mensagem do evangelho restaurado, filiando-se à Igreja em número cada vez maior. Isso despertou em nós o desejo de conceder a todos os membros dignos da Igreja todos os privilégios e bençãos que o evangelho proporciona. [O Senhor] ouviu nossas orações e, por revelação, confirmou que era chegado o dia [...], portanto todos os homens dignos da Igreja podem ser ordenados ao sacerdócio, independentemente de sua raça ou cor.” (Declaração Oficial- 2. Salt Lake City, Utah, 30 de Setembro de 1978)

A expressão: “Isso despertou EM NÓS o desejo”, esclarece de uma vez por todas que a proibição de negros no Sacerdócio jamais veio de Deus, mas de corações poluídos pelo racismo! Não despertou “em Deus”, despertou “em nós” homens racistas.

Lembra-se que lemos anteriormente: que o dia em que os negros receberiam o Sacerdócio, “só chegaria depois da ressurreição”? Como fica essa afirmação? O que acontece com todos os sermões de John Taylor e de Brigham Young, que falaram tanto contra os negros no Sacerdócio?

As palavras de Brigham foram:

(21) [os negros] nunca poderão realizar o sacerdócio ou compartilhá-lo até que todos os outros descendentes de Adão tenham recebido as promessas e usufruído as bênçãos do Sacerdócio e as chaves desse fato. (Ver tópico 13 deste Capítulo)

Deus falou, está “falado”:

Vemos na Bíblia a seguinte história:

Naquele dia, se leu para o povo no Livro de Moisés; achou-se escrito que os amonitas e os moabitas não entrassem jamais na congregação de Deus, porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; antes, assalariaram contra eles Balaão para os amaldiçoar; mas o nosso Deus converteu a maldição em benção. Ouvindo eles, o povo, esta lei, apartaram de Israel todo elemento misto. (Neemias 13:1-3)

Notamos aqui, que não houve parcialidade do povo de Israel, eles não mudaram a lei para que as coisas ficassem mais fáceis de serem resolvidas. Não “despertou neles o desejo” de conceder aos moabitas e amonitas uma parte entre eles! 

Tomemos como isso uma lição: Deus não se adapta aos homens, e sim os homens a Deus. Em momento algum Deus vai se submeter a nós. Somos nós que temos que observar Seus mandamentos. Ele não vai mudar leis segundo a vontade dos homens. Deus não é um Deus manipulável!

E na história de Neemias, vemos que os amonitas e os moabitas foram proibidos de entrar na assembléia de Deus porque não ajudaram o povo de Israel, mas pagaram a Balaão para que os amaldiçoasse; ou seja, em parte alguma está escrito que os amonitas e moabitas foram proibidos de entrar pela cor de pele ou simplesmente por serem de uma nação diferente. Mas sim, por negarem ajuda ao povo de Deus.

Lemos também na Bíblia uma história muito dolorosa que atingiu o povo de Israel: Eles haviam se casado com mulheres estrangeiras, e tinham ido após seus deuses e seus costumes. Isso era detestável ao Senhor, então o que aconteceu? Será que o povo de Israel ao perceber seu erro resolveu mudar as leis, dizendo que “agora Deus liberaria tal tipo de casamento”? Seria muito mais fácil, e conveniente fazer isso não? Mas não foi isso que fizeram: 

Então, se levantou Esdras, o sacerdote, e lhes disse: Vós transgredistes casando-vos com mulheres estrangeiras, aumentando a culpa de Israel. Agora, pois, fazei confissão ao Senhor, Deus de vossos pais, e fazei o que é do seu agrado; separai-vos dos povos de outras terras e das mulheres estrangeiras. Respondeu toda a  congregação e disse em altas vozes: Assim seja; segundo as tuas palavras, assim nos convém fazer. [...] Todos estes haviam tomado mulheres estrangeiras, alguns dos quais tinham filhos destas mulheres. (Esdras 10: 10- 12, 44)

O que isso representa? Choro, dor, sentimentos feridos, famílias despedaçadas, mas em momento algum vemos algum deles indo “orar para Deus mudar de idéia”, orar “horas a fio”, para fazer Deus reverter seus mandamentos. Foi doloroso despedir-se das mulheres e filhos, mas a Nação o fez, e nem cogitaram em apelar para o sentimentalismo. Eles entendiam que Deus não muda de idéia como nós seres humanos.

As passagens da Bíblia que falam que “Deus se arrependeu”, são normalmente citadas por pessoas que procuram, em vão, se convencer de que Deus “se arrepende” de algo, como nós humanos. Deus é Soberano, e seu “arrependimento” é totalmente diferente do “arrependimento” humano, não existe uma palavra em nosso vocabulário para expressar o sentimento de Deus da forma correta, então nós usamos a nossa palavra humana: Arrependimento. Porém, o significado dela quando empregado no caso de Deus, é absolutamente oposto ao significado que ela porta quando se refere a nós.

O arrependimento humano vem depois do pecado. Quando nós, humanos, nos arrependemos, isso sugere que estávamos errados, e a tendência do cérebro humano e limitado, é imaginar que quando lemos a palavra ‘arrependimento’ vinculada a Deus, logo imaginamos que “se Deus se arrependeu, logo Deus errou”, e isso é inaceitável, pois Ele jamais se engana! O que acontece é a nossa ânsia de procurar respostas nos lugares errados, e interpretarmos a Bíblia com olhos carnais, comparando coisas ESPIRITUAIS com coisas CARNAIS, por isso caímos em erro. Lemos o presidente Spencer dizendo:

(22) “[…] imploramos longa e fervorosamente por esses nossos fiéis irmãos, passando muitas horas na Sala Superior do Templo, a suplicar a orientação divina do Senhor. (Declaração Oficial- 2; Quinto parágrafo; Edição de 1997)

Spencer estava a suplicar “orientação divina” de algo que “deus” (o deus/homem) já havia orientado segundo o profeta Brigham Young: Os negros só teriam o Sacerdócio DEPOIS da ressurreição! (Ver tópico 14 deste Capítulo). O problema é que a contradição é tão gritante, e inexplicável que se torna um problema para os membros atuais, e acaba se tornando uma confusão. Pois eles “precisam explicar” tão drástica mudança, que realmente não pode ser explicada por ninguém, porque fere princípios do próprio Livro de Mórmon!

Para grande parte das pessoas é certo o fato de que Deus não muda de idéia, ainda mais para se adaptar a conveniências humanas. Tanto que quando Moisés começou a perturbar Deus com seu pedido, ouviu uma forte negativa:

Rogo-te que me deixes passar, para que eu veja esta boa terra que está dalém do Jordão, esta boa região montanhosa e o Líbano. Porém o Senhor indignou-se muito contra mim, por vossa causa, e não me ouviu; antes, me disse: Basta! Não me fales mais nisto. (Deuteronômio 3: 25, 26)

Esse é Deus. O Soberano, esse é seu caráter. Se Deus não se deixou “amolecer” pela insistência de Moisés, porque então se dobraria a petição de Spencer W. Kimball? Por que revogaria uma lei que era a base do Livro de Mórmon e dos sermões de Brigham Young?

Talvez os líderes SUD considerem essa atitude de “Deus” normal, já que creem que Deus é um homem que foi “exaltado” a Deus. Vendo por esse ângulo, as mudanças doutrinárias ao longo dos anos têm até sua lógica, já que ele é um deus/homem, é normal a homens, ter uma índole variável, mutante...

O Deus da Bíblia não é um “ex-humano” facilmente influenciável. Não! O Deus da Bíblia jamais “se tornou Deus”, Ele é Deus desde a eternidade: Desde sempre, e para sempre. Ele nunca foi criado, pois sempre existiu sendo exatamente o que é: DEUS.

No próprio Livro de Mórmon lemos o seguinte a respeito de Deus:

23) Pois sei que Deus não é um Deus parcial nem um ser variável; mas é imutável, de eternidade a eternidade. (Morôni 8: 18)

Isso deve causar uma séria confusão na mente dos membros SUD… Se Deus não é parcial… Como fica a história dos Lamanitas? E do casamento Plural? Foram doutrinas fortíssimas que marcaram a história da Igreja, não tanto por serem praticadas, mas justamente pela adaptação que ocorreu ao longo dos anos.

Continue a leitura:

Capítulo 1 - Traídos pela própria fé

Capítulo 2 - Somente eu fiquei

Capítulo 3 - Um bosque, dois Personagens e um jovem

Capítulo 4 - A Maçonaria e seu filho Mormonismo

Capítulo 5 - Joseph Smith ou Joseph Cristo?

Capítulo 6 - E Deus criou... Deus?

Capítulo 7 - O jogo dos sete erros, ou dos 3.193 erros?

Capítulo 8 - Deem uma agenda para Jesus!

Capítulo 9 - Negros – A cor do Sacerdócio

Capítulo 10 - Eu os declaro marido e ... mulheres?

Capítulo 11 - “Diga aos Mórmons que Eu os amo...”


Veja também:

Joseph Smith na Maçonaria - Veja o que um Ex-Maçom tem a dizer no video "Eu servi Lúcifer sem saber":


O ex-maçom francês Serge Abad-Gallardo, esteve na Maçonaria por 24 anos e escreveu três livros: Eu servi Lúcifer sem saber, Porque deixei de ser maçom e Eu bati à porta do Templo.

Joseph Smith fez mais do que Jesus?



Testemunho de Ex-Bispo Mormon - Lee Baker

*


Testemunho de Lynn Wilder, ex-Professora da Brigham Young University (BYU)
 e de como seu filho, foi excomungado.




Testemunho de MicahWilder, Ex Elder: Sei que a Igreja e verdadeira:




Licença Creative Commons ----    Licença Creative Commons



Diga aos Mórmons que Eu os amo é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported. [TAGS: onde comprar Diga aos Mórmons que Eu os amo, download, grátis, gratuito, de graça, ler, baixar, upload, mormonismo, maçonaria, Joseph Smith, GADU, G.A.D.U., Grande Arquiteto do Universo, ritos, rituais, rito escocês, rito de york, companheiro, companheiros, com um acordo, gestos, sinais, William Schnoebelen, graus de glória, exaltação, deuses, deus homem, maçom, maçons, maçônico, maçônica, maçônicos, maçônicas, Loja Azul, Grande Oriente, GOB, Tubalcaim, batidas, Mestre maçom, Grau 33, 33° Grau, Grão Mestre, Druida, ofício, sacerdócio, sacerdotal, Templo, Salt Lake City, Utah, SUD, LDS, Santos dos últimos dias, santo dos últimos dias, missionário, porta a porta, ala, estaca, regional, reunião sacramental, ceia, livro de mórmon, morôni, Presidente Gordon, No man Knows my History, Albert G. Mackey, Albert Pike, o simbolismo da maçonaria, Morals and Dogma, As Constituições de Anderson, Old Charges, O DNA e o Livro de Mórmon, Levantando o Véu da Poligamia, O livro perdido de Abraão, Satanismo, Ocultismo, Museu de História Mórmon, compasso, esquadro, sinais maçônicos, cumprimentos, aperto de mão, sinalizar, não há socorro para o filho da viúva, Hiram Abiff, batidas na porta, maçonaria por trás de portas fechadas, expondo os Illuminati do âmago, livros evangélicos grátis, livros grátis, livros para download gratuito, livro de estudo sobre Maçonaria para baixar, livro de estudo sobre Mormonismo para baixar, E-book grátis, E-book sobre Mórmons,]

Nenhum comentário:

Postar um comentário