domingo, 22 de janeiro de 2017

Leitura do livro "Diga aos Mórmons que EU os amo" - Capítulo 10

Capítulo 10 - Eu os declaro marido e... mulheres?


Os SUD chamam de “Casamento Plural”, quem não é membro da Igreja SUD chama de poligamia. É a mesma coisa. Mas convenientemente é uma doutrina válida apenas para os homens, sim, as antigas mulheres SUD tinham que submeter-se a isso. Hum... posso imaginar o semblante contrariado de alguns SUD... Está bem, vamos reformular a frase acima: “ERA válida apenas para homens”. É que o Casamento Plural foi proibido por lei nos Estados Unidos, então, o deus/homem de Smith precisou adaptar-se a isso, e aderiu à proibição do Congresso Americano, e também “proibiu” a prática!

Não, aguarde um momento, preciso reformular outra frase: “As antigas MENINAS SUD tinham que submeter-se a isso”. Sim, porque não eram “mulheres” em plena “idade de mulheres”, eram crianças! Meninas de 13 e 14 anos que eram dadas a velhos SUD para lhe servirem de “esposas”. E essa foi outra mancha que os líderes SUD procuraram tirar de sua história, mas está muito bem gravada nas páginas dos seus livros, assim como o racismo contra os negros. Mas partiremos do princípio, e sim, como sempre o início é Joseph Smith:

TEXTO 1:

Enquanto trabalhava na tradução da Bíblia, no início da década de 1830, o Profeta Joseph Smith sentiu-se confuso com o fato de que Abraão, Davi e outros líderes do Velho Testamento tivessem tido mais de uma esposa. O Profeta orou pedindo entendimento e soube que, em certas épocas, com propósitos específicos, seguindo leis divinas, o casamento plural era aprovado e estabelecido por Deus. (Nosso Legado, pg 97, Edição 1996) – Grifo meu.

Protesto! Isso é uma mentira grandiosa:

Mentira 1 – “Joseph Smith sentiu-se confuso” – Oh, “pobre” Smith, “coitadinho”, até parece que iremos acreditar que o grande “profeta” sentiu-se confuso! Isso não passa de uma manipulação para que as pessoas pensem que “Smith jamais sonhou com Poligamia em sua vida, ele foi ‘surpreendido’ pela Poligamia na Bíblia (claro, aonde mais seria) e praticamente ‘obrigado’ por mandamento divino a praticá-la”.

Faça-me o favor!

Mentira 2 – “O casamento plural era aprovado e estabelecido por Deus”. Mentira! Jamais lemos na Bíblia Deus estabelecer uma coisa dessas! Davi, Abraão e outros “líderes” do Velho Testamento PECARAM ao pegar para si mais de uma esposa!

Smith com certeza absoluta não leu a Bíblia! Se a tivesse lido, não ficaria confuso sobre algo tão claro!

TEXTO 2:

Joseph Smith soube também que, com aprovação divina, alguns santos dos últimos dias logo seriam escolhidos, por meio da autoridade do sacerdócio, para casarem-se com mais de uma mulher. Vários santos dos últimos dias praticaram o casamento plural em Nauvoo, mas o anúncio público dessa doutrina só foi feito em agosto de 1852, numa conferência geral em Salt Lake City. (Nosso Legado, pg 97)

Absurdo 1 – Ok, então, oficialmente Smith praticou um MANDAMENTO às escondidas? Por quê? Por qual motivo a doutrina só veio a público oito anos após o falecimento de Smith? Se, como no texto UM que lemos, o casamento plural tinha sido estabelecido por Deus, porque apenas “alguns santos dos últimos dias logo seriam escolhidos” para cometer esse pecado? Então era um “mandamento para alguns”? Somente para os líderes, claro!

Absurdo 2 – Por que Smith não declarou abertamente a doutrina? Ele fez questão de falar para o mundo sobre o Livro de Mórmon, por que então ocultou essa doutrina que “fazia parte da restauração de tudo feita pelo Senhor” (nosso Legado, pg 97). Se isso fazia parte da “restauração”, porque TODOS os SUD não foram avisados? Por que apenas “alguns” poucos “privilegiados”, foram “autorizados” a “obedecer a Deus” às escondidas?

Absurdo 3 – Se fosse verdade que Davi, Abraão (e quem mais os líderes SUD desejarem citar) tivessem obedecido a um suposto “mandamento” de Deus, eles o fizeram PUBLICAMENTE. Então, o que levou Smith e mais outros líderes SUD a se esconderem do mundo ao casarem com meninas de 14 anos? (Ver o livro “No man Knows My History”, da historiadora Fawn M. Brodie).

Na verdade Smith manipula textos segundo seus propósitos: 

Eu poderia ter feito uma tradução mais clara, mas é suficientemente clara como está, para servir ao meu propósito. (Doutrina e Convênios 128:18)

Bem, já vimos o suficiente até aqui, e essa confissão de Smith não nos trás nenhuma novidade. Sabemos que é exatamente isso que ele sempre fez: traduziu as coisas de forma a servirem para seus propósitos. Valia tudo para fazer a sua própria vontade...

As meninas do profeta.

Smith casou-se com várias moças. A Igreja SUD aceita oficialmente “apenas” 33 jovens. Mas há historiadores que concordam em unanimidade que o número chegou a mais de 70 esposas! O mais incrível, é que no site de História da Família da igreja SUD é possível realizar uma pesquisa das moças, e ver que a maioria delas tinham 13, 14 anos! Eram crianças! Algumas tinham 20 anos, e umas poucas tinham a mesma faixa etária de Smith, que era cerca de 30-40 anos.

Smith deveria estar “amando” ter essas “revelações” muito convenientes, que só serviam para ele e para “alguns” membros da igreja, e “mais ninguém”. Detalhe é que a tal falsa doutrina só veio à tona oito anos após a morte de Smith, ou seja, se ele tivesse vivido por mais tempo a doutrina ficaria oculta por mais tempo ainda!

Quanta coisa escondida se anda fazendo por trás das mesas da Primeira Presidência!

Imaginem o profeta Gordon Bitner Hinckley, falecido em 27 de Janeiro de 2008, passam-se oito anos de sua morte, e alguém, durante uma Conferência Geral, acaba “revelando” aos SUD que ele praticava a poligamia, e que era uma “Ordenança” do Senhor para ele, mas “somente para ele”, estranho ficar sabendo que só depois da morte de um profeta alguns “mandamentos” vêem à tona não? Isso seria um choque para a Igreja SUD atual. Sim, o que nos garante que os líderes atuais da igreja não estão realizando “mandamentos” ocultos “de Deus” ás escondidas dos demais membros? Os membros antigos jamais imaginariam que seu líderes estavam se casando com “meninas”! É muita conveniência... Mandamentos “particulares”, mandamentos do tipo “personal trainner”, que é exclusivo segundo a “necessidade” de cada um...

Glória a Deus que Ele não é assim! Analisaremos agora, a vida de Davi e Abraão, que segundo os líderes SUD, foram homens que “obedeceram a Deus” e supostamente realizaram “o casamento plural estabelecido por Deus”. Vamos ver isso de perto para descortinar mais uma falcatrua de Smith:

ABRAÃO e a Poligamia:

Abrão e Naor tomaram para si mulheres; a de Abrão chamava-se Sarai, a de Naor, Milca (...) (Gênesis11:29)

Você não viu nenhuma mulher a mais viu? Ok prossigamos:

Ora, Sarai, mulher de Abrão, não lhe dava filhos; tendo, porém, uma serva egípcia, por nome Agar, disse Sarai a Abrão: Eis que o Senhor me tem impedido de dar à luz filhos; toma, pois, a minha serva, e assim me edificarei com filhos por meio deles. E Abrão anuiu ao conselho de Sarai. (Gênesis 16:1, 2)

Alguém leu no versículo acima “E Abraão obedeceu à voz de Deus”? Smith leu, ele deveria estar com algum problema nas vistas. Sim, porque em toda a Bíblia não há UM MANDAMENTO sequer de Deus, ordenando que os homens se casem com mais de uma mulher, existe uma proibição! Então a tal “confusão” na mente de Smith, foi obviamente criada por ele mesmo para introduzir essa doutrina maligna, lançando sobre Deus a responsabilidade de tê-la criado, quando na verdade ela foi criada em seu próprio coração impuro e contaminado pelo pecado.

Smith estava cegado por espíritos enganadores, e tão pervertido pela mutilação que causou na Palavra de Deus, que já havia muito tempo que sua consciência estava cauterizada. Para ele era indiferente introduzir uma doutrina do inferno e dar a Deus o “crédito” de tal doutrina! Voltemos à análise do versículo acima:

Quem era a (no singular) mulher de Abraão? R: Sarai.

Quem era Agar? R: A escrava de Sarai.

Agar era esposa de alguém? R: Não.

Quem mandou Abraão tomar Agar como esposa, Deus ou Sarai? R: Sarai.

Então, Sarai, mulher de Abrão, tomou a Agar, a egípcia, sua serva, e deu-a por mulher a Abrão, seu marido, depois de ter ele habitado por dez anos na terra de Canaã. (Gênesis 16:3)

Agar teve algum privilégio especial sobre Sarai por isso? R: Não:

Então, lhe disse o Anjo do Senhor: Volta para a tua senhora e humilha-te sob suas mãos. (Gênesis 16:9)

Deus mudou o nome de Sarai ou de Agar? R: De Sarai: 

Disse também Deus a Abraão: A Sarai, tua mulher, já não lhe chamarás Sarai, porém Sara. (Gênesis 17: 15)

Deus mudou o nome de Agar? R: Não

Agora, diante de todas essas evidências, foi Deus quem “mandou” Abraão tomar Agar como esposa? A resposta é um alto e grave NÃO!

Abraão tinha concubinas? Sim tinha:

Porém, aos filhos das concubinas que tinha, deu ele presentes e, ainda em vida, os separou de seu filho Isaque, enviando-os para a terra oriental. (Gênesis 25:6)

Abraão fazia uma séria distinção entre Isaque e os outros filhos que tinha com as concubinas, demonstrando com isso que Isaque era o filho da promessa, ele era filho “da esposa” Sara. Vejamos o que é uma “concubina” segundo o dicionário:

Concubina: Mulher que vive maritalmente com um homem, sem estar casada. Abraão só esteve casado com SARA, então não funciona a tática dos líderes SUD, de afirmarem que ele era “casado” com essas tantas “esposas”. Em toda a história de Abraão, desde o momento em que ele se deitou com Agar, até após a morte de Sara, (que foi quando ele teve suas concubinas) não lemos em parte alguma da Bíblia que isso era um mandamento de Deus para sua vida. Abraão era humano e tão pecador quanto qualquer pessoa. Não podemos pegar seus exemplos errados e torná-los mandamentos de Deus. Assim como Davi, que matou muitos homens, e nem por isso tomamos essas atitudes como mandamentos. Por que Smith não ensinou que se “Davi matou, vamos matar também, afinal é um mandamento”?

Smith só usava as partes que lhe eram convenientes: “Davi se deitou com várias, vamos nos deitar também, afinal é uma mandamento”. Isso é errado, porque Davi cometeu pecados diante de Deus.

Então, disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor. Disse Natã a Davi: Também o Senhor te perdoou o teu pecado; não morrerás. (2 Samuel 12:13)

Natã disse isso da atitude errada de Davi, de mandar matar Urias, e tomar sua esposa Bate-Seba como sua mulher. Smith gostava dessas partes da Bíblia, mas não prestava atenção no final das histórias, onde Deus sempre deixava claro que um PECADO tinha sido cometido.
Quantas esposas um homem de Deus deve ter?

Apenas uma. Em momento algum da história da humanidade Deus abriu alguma exceção para alguns “poucos escolhidos” portadores de qualquer sacerdócio!

É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher [...] (1 Timóteo 3:2)

Paulo cita cerca de quinze qualidades que alguém que deseje servir na Obra do Senhor deve ter, mas a primeira é que “seja esposo de UMA só mulher”. Provavelmente Smith diria que essa passagem bíblica está errada, e foi adulterada. Afinal, todas as passagens bíblicas que contradiziam o seu ensino pervertido eram tidas por ele como “adulteradas”... Nada de novo debaixo do “sol de Joseph Smith Jr”.

Manipulando a Bíblia segundo Smith.

Como Smith praticou a Poligamia às escondidas, ele não deixou muita coisa sobre isso escrito. Portanto a responsabilidade de explicar a doutrina ficou sobre outros líderes. Esses homens usam alguns versículos bíblicos totalmente fora de contexto para proclamar que o casamento plural foi um mandamento de Deus que no antigo Testamento era praticado:

(...) o casamento plural foi praticado na época do Velho Testamento e nos primeiros tempos da igreja restaurada. (Guia para Estudo das Escrituras, “Casamento Plural”, pg 35)

“Praticado” poderia até ter sido, ordenado, é outra história! Mas já vimos a diferença entre uma ESPOSA e uma CONCUBINA. E novamente vemos outra manipulação de um texto da Bíblia:

Se um homem tomar outra mulher por esposa, não diminuirá o mantimento da primeira. (Guia para Estudo das Escrituras, pg 35, Êxodo 21: 10)

Usando esse texto, os líderes SUD dizem que o “Casamento Plural” era ordenado por Deus! Esse capítulo de Êxodo trata da Lei que considera os escravos e escravas, e não casamentos. Vejamos o texto completo:

Se um homem vender sua filha para ser escrava, esta não lhe sairá como saem os escravos. Se ela não agradar ao seu senhor, que se comprometeu a desposá-la, ele terá de permitir-lhe o resgate; não poderá vendê-la a um povo estranho, pois será isso deslealdade para com ela. Mas se a casar com seu filho, tratá-la-á como se tratam as filhas. Se ele der ao filho outra mulher, não diminuirá o mantimento da primeira, nem os seus vestidos, nem os seus direitos conjugais. (Êxodo 21:7-10) – Grifo meu.

Deus sabia que o Povo estava muito acostumado com o modo de viver dos Egípcios, afinal foram escravos por 400 anos. E não era do dia para a noite que abandonariam certas práticas. O que Deus está fazendo aqui é estabelecer Leis para organizar o modo de vida que o Povo de Israel já tinha. Tanto é que sempre encontramos a conjunção “SE”.

“SE” é uma condicional, e significa “no caso de”. Não é um mandamento! Os líderes SUD costumam adulterar o sentido do texto para que fique mais fácil incutir sua doutrina poluída na mente das pessoas. Se essa condicional fosse um mandamento, então todos nós teríamos que furtar:

Se alguém furtar boi ou ovelha e o abater ou vender [...] (Êxodo 22:1) – Grifo meu.

Todos nós teríamos que ferir escravos: Se alguém ferir com bordão o seu escravo ou a escrava, e o ferido morrer [...] (Êxodo 21: 20) – Grifo meu.

O mesmo “se” que Deus usa para falar de várias esposas, usa para falar de furto e de matar um escravo. O que faz o “se” das esposas ser visto como um “mandamento” e os outros “se” não? Os líderes SUD escolhem a dedo o que fica melhor para limpar a imagem do seu profeta...

Falso deus/homem fala:
No livro Doutrina e Convênios, existe um discurso do tal deus/homem sobre a Poligamia, vejamos:

Abraão recebeu concubinas e elas geraram-lhe filhos; e isso lhe foi atribuído como sendo justo, porque elas lhe foram dadas e ele obedeceu a minha lei; como também Isaque e Jacó nada mais fizeram do que aquilo que lhe fora ordenado; (...) entraram para sua exaltação, de acordo com as promessas; e assentaram-se em tronos e não são anjos, mas são deuses.(Doutrina e Convênios 132:37)

O falso deus/homem deixa um vácuo sobre quem “deu as esposas” a Abraão. Ele só diz: “elas lhe foram dadas”, e “recebeu concubinas”. Em parte alguma o deus/homem diz que foi ele quem as deu para os homens. Já vimos biblicamente que eles erraram, e que isso jamais foi um mandamento.

É dever do marido amar, valorizar e nutrir a esposa e apegar-se a ela e a ninguém mais. (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja – Joseph Smith, Capítulo 42, pg 507; Edição 2007)

O Congresso dos Estados Unidos faz as leis dos SUD:

Em 1887, Gerald F. Edmunds, Senador de Vermont e John Randolph Tucker, um congressista, se uniram contra a Poligamia, venceram diante dos tribunais americanos. O Congresso Americano aprovou em 1887, o “Ato Edmunds – Tucker” (que unia o sobrenome dos dois), e segundo esse ato, todos os SUD estavam proibidos por lei de realizar a Poligamia.

A pena era um multa de $500 a $800 dólares, cinco anos de prisão e a apreensão de todas as propriedades da Igreja SUD. Logicamente após essa Lei tão severa do Congresso, o profeta da época, Wilford Woodruff, imediatamente teve uma “revelação”:

O Senhor mostrou-me por meio de visão e revelação, exatamente o que ocorreria se não abandonássemos essa prática. (Declaração Oficial 1 – Pg 339)

O “senhor”? Só se foi o “senhor” Juiz do Congresso Americano! Porque até onde lemos aqui, o “senhor” de Smith tinha ordenado a Poligamia. Mas, como também já estamos acostumados, ele é um deus/homem, sendo assim teme decretos humanos, não está preparado para defender seu povo. Os homens do Sinédrio, ameaçaram os Apóstolos, esperando que eles parassem de falar sobre Jesus, vejamos a diferença:

(...) mas, para que não haja maior divulgação entre o povo, ameace-mo-los para não mais falarem neste nome a quem quer que seja. Chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem em o nome de Jesus. Mas Pedro e João lhes responderam: Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus; pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos. (Atos 4:17-20)

Glória a Deus que os Apóstolos obedeciam a Deus, e não às ameaças que os rondavam! Diferente de Willford Woodruff, que cedeu imediatamente à Lei, e teve uma “revelação” instantânea... Talvez Willford imaginou que ninguém perceberia que ele só teve a “revelação” por causa do aperto em que estavam. A mesma história do racismo, quando só foram autorizados negros ao Sacerdócio porque seria construído o templo no Brasil (país de maioria negra), senão, até hoje os negros estariam “esperando sentados” para participar do tal sacerdócio. Vejamos algumas mudanças na Lei Americana, relacionadas ao casamento:

1874 - O Congresso aprovou a Lei Polônia, que visava facilitar processos no âmbito do Anti-bigamia Morrill Act, eliminando o controle que membros de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias” exerciam sobre o sistema de justiça do Território de Utah.

1879 a Lei Morril Antibigamia foi introduzida

1882 - O Congresso aprovou a Lei Edmunds- Tucker é uma lei federal dos Estados Unidos, promulgada em 23 de março de 1882, declarando a poligamia um crime.

1887 - O Congresso aprovou que a Lei Edmunds Tucker tocasse todas as questões em litígio entre o Congresso dos Estados Unidos e da Igreja SUD. Permitia que os promotores forçassem mulheres de SUD polígamos a testemunhar contra seus maridos, e aboliu o direito das mulheres em Utah.

1890 – Os SUD renunciam oficialmente à poligamia através do “Manifesto de 1890”, que foi assinado pelo presidente Willfor Woodruff. 

1904 – Novamente os SUD renunciam à poligamia, ameaçando excomungar qualquer um que a praticasse.

Até Smith não acreditaria em sua própria história, pois sabe o quanto seus argumentos são desprovidos de lógica! 

Não culpo quem não acredita na minha história. Se não tivesse acontecido comigo, nem eu acreditaria. (No Man knows my history, [nenhum homem conhece minha história], de Fawn M. Brodie, Prefácio, pg VII; Vintage Books, Edição de 1971)

Sua crença de hoje, será uma “Declaração Oficial” amanhã O que chamou a atenção do mundo para os SUD foram drásticas mudanças que acompanharam tais doutrinas, doutrinas que foram defendidas “com unhas e dentes” por anos a fio, repentinamente mudaram. Mudanças essas que sempre ocorreram em momentos muito convenientes para a igreja SUD.

Os antigos líderes SUD pregaram com toda sua alma, verdades que hoje não são sequer citadas nas capelas, mas que não podem ser apagadas da história da igreja SUD. É válido nos perguntarmos nesse momento: Será que daqui a alguns anos, doutrinas que são ensinadas hoje não desaparecerão? O Batismo pelos mortos, as pesquisas genealógicas, o casamento eterno… Você pode rir consigo mesmo e pensar: “Impossível que isso aconteça!”

Pois bem, era exatamente assim que os antigos mórmons pensavam com relação aos negros no Sacerdócio e ao Casamento Plural acabar… Eles pensavam:

”Impossível que isso mude”. Tinham PLENA convicção de que eram “eternos convênios” ou “ordenanças eternas”, vemos isso em suas declarações, cheias de certeza, e hoje? Hoje nem sequer se fala mais sobre isso nas reuniões de domingo…

E Joseph morreu crendo nessas doutrinas, que hoje, ocupam apenas páginas de livros. Coisas do passado...

Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão. (Mateus 24: 35)

O que você crê hoje será uma Declaração Oficial amanhã...

Senti meu coração arder, sei que é verdadeiro!

A base do “mormonismo” é “perguntar a Deus se o Livro de Mórmon é verdadeiro”. Muitos membros dizem ter feito isso, e nesse momento, dizem ter sentido seu “peito queimar”, ou seu “coração arder”. Bem, isso força aqueles que não sentiram o “peito arder” a correr atrás de um testemunho pessoal, achando que há algo de errado com suas vidas diante de Deus. A ânsia por uma resposta é tão desesperadora que existem membros que entram em depressão, pois ficam a se perguntar: ”Como podem todos afirmar que sentiram o peito arder, e eu não sinto nada? Devo estar em pecado...”

Também, muitos, de tanto ouvir a mesma história de “ardor no coração”, acabam pensando que “já receberam o testemunho”, porém “não se deram conta” alguns missionários inclusive, induzem os “pesquisadores” da igreja a se batizar, antes de receber o tal testemunho, pois, afirmam eles que o “coração vai arder” depois... ou que “já ardeu e eles não notaram”...

Isso na verdade é como uma bola de neve: uma pessoa vai a uma reunião de domingo, e tudo o que ouve é: ”Eu sei que o Livro de Mórmon é verdadeiro”, então acaba pensando que é a única pessoa errada ali, pois “se todos dizem a mesma coisa, é porque deve ser real”... Conseqüentemente “se eu não sinto a mesma coisa que todos dizem sentir, eu estou errado, ou em pecado”.

Isso é um massacre emocional, principalmente para os jovens que estão saindo para a missão. A maioria nunca parou para perguntar se o Livro de Mórmon é verdadeiro, eles simplesmente creem que é verdadeiro, pois toda sua vida desde a infância está baseada na crença do Livro de Mórmon, então, quando está chegando à época de fazer a missão, as autoridades da igreja “desafiam” os futuros missionários a obterem seu “próprio testemunho”, é aí que começam os problemas...

Pois “se meu melhor amigo, diz que Deus o respondeu, e que ele “sabe que o livro de Mórmon é verdadeiro”, por que Deus não responde a minha oração sincera?... teria sido eu menos valente na vida pré-mortal? Teria eu menos privilégios porque minha família não é mórmon há várias gerações? Teria eu menos fé que meu amigo?”

Temos que entender que, a pressão e a depressão que envolve a vida desses jovens, é muito profunda. Isso é um fardo pesado demais. É muita pressão emocional, tanto por parte da família, como por cobrança pessoal. Para agradar um membro da família, ou para não ficarem mal vistos pela liderança da igreja SUD acabam concordando com algo sem lógica, algo em que eles não têm segurança nem real testemunho por parte de Deus. Existem milhares de membros na mesma situação, que estão tentando sufocar dentro de si perguntas que gritam que ecoam em sua mente e seu coração, perguntas sem respostas, perguntas errantes...

Continue a leitura:

Capítulo 1 - Traídos pela própria fé

Capítulo 2 - Somente eu fiquei

Capítulo 3 - Um bosque, dois Personagens e um jovem

Capítulo 4 - A Maçonaria e seu filho Mormonismo

Capítulo 5 - Joseph Smith ou Joseph Cristo?

Capítulo 6 - E Deus criou... Deus?

Capítulo 7 - O jogo dos sete erros, ou dos 3.193 erros?

Capítulo 8 - Deem uma agenda para Jesus!

Capítulo 9 - Negros – A cor do Sacerdócio

Capítulo 10 - Eu os declaro marido e ... mulheres?

Capítulo 11 - “Diga aos Mórmons que Eu os amo...”


Veja também:

Joseph Smith na Maçonaria - Veja o que um Ex-Maçom tem a dizer no video "Eu servi Lúcifer sem saber":


O ex-maçom francês Serge Abad-Gallardo, esteve na Maçonaria por 24 anos e escreveu três livros: Eu servi Lúcifer sem saber, Porque deixei de ser maçom e Eu bati à porta do Templo.

Joseph Smith fez mais do que Jesus?



Testemunho de Ex-Bispo Mormon - Lee Baker

*


Testemunho de Lynn Wilder, ex-Professora da Brigham Young University (BYU)
 e de como seu filho, foi excomungado.




Testemunho de MicahWilder, Ex Elder: Sei que a Igreja e verdadeira:




Licença Creative Commons ----    Licença Creative Commons



Diga aos Mórmons que Eu os amo é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported. [TAGS: onde comprar Diga aos Mórmons que Eu os amo, download, grátis, gratuito, de graça, ler, baixar, upload, mormonismo, maçonaria, Joseph Smith, GADU, G.A.D.U., Grande Arquiteto do Universo, ritos, rituais, rito escocês, rito de york, companheiro, companheiros, com um acordo, gestos, sinais, William Schnoebelen, graus de glória, exaltação, deuses, deus homem, maçom, maçons, maçônico, maçônica, maçônicos, maçônicas, Loja Azul, Grande Oriente, GOB, Tubalcaim, batidas, Mestre maçom, Grau 33, 33° Grau, Grão Mestre, Druida, ofício, sacerdócio, sacerdotal, Templo, Salt Lake City, Utah, SUD, LDS, Santos dos últimos dias, santo dos últimos dias, missionário, porta a porta, ala, estaca, regional, reunião sacramental, ceia, livro de mórmon, morôni, Presidente Gordon, No man Knows my History, Albert G. Mackey, Albert Pike, o simbolismo da maçonaria, Morals and Dogma, As Constituições de Anderson, Old Charges, O DNA e o Livro de Mórmon, Levantando o Véu da Poligamia, O livro perdido de Abraão, Satanismo, Ocultismo, Museu de História Mórmon, compasso, esquadro, sinais maçônicos, cumprimentos, aperto de mão, sinalizar, não há socorro para o filho da viúva, Hiram Abiff, batidas na porta, maçonaria por trás de portas fechadas, expondo os Illuminati do âmago, livros evangélicos grátis, livros grátis, livros para download gratuito, livro de estudo sobre Maçonaria para baixar, livro de estudo sobre Mormonismo para baixar, E-book grátis, E-book sobre Mórmons,]

Nenhum comentário:

Postar um comentário