domingo, 7 de agosto de 2016

Capítulo 25 - A Verdade por trás da Fantasia da Pornografia [Livro de Shelley Lubben] Leitura Online PDF



XXV

Uma Confissão

A VIdA do cAmpeão

Capítulo Vinte e Cinco

Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus,

para que ele os exalte no tempo devido.

- 1 Pedro 5:6

Era 2002 e era tempo de voar alto. Campeões para a vida, Garrett, eu e

nossas filhas intencionamos fazer uma nova vida para nós mesmos

fora do militarismo. Garrett recebeu a notícia de que estava sendo

dispensado honoravelmente do serviço militar por causa de seu

desgaste na região lombar. Os pobres lombos de Garrett não

agüentaram tão perto do fim de sua carreira militar, o que

naturalmente me treinou para pegar tudo que caía no chão. O que foi

um verdadeiro milagre, considerando o quanto eu era relaxada quando

ele me conheceu.

Agora em 2002, eu era uma mãe que limpava e uma Campeã que

deixava a casa bonita, cozinhava refeições elaboradas, criava web sites

coloridos e funcionais, enlatava sua própria geléia, criava belas

crianças, servia como líder em uma igreja campeã e ainda tinha uma

escolaridade em seu bolso.

Nada mal para uma ex-atriz pornô.

Sete anos de uma dura recuperação para fora do inferno, e eu saí do

Centro de Campeões como uma campeã totalmente recuperada e uma

mulher curada. A Palavra de Deus realmente fazia o que ela dizia que

poderia fazer. E eu era a prova viva disso.

Deus curou tudo em minha vida desde uma doença incurável, de garota

de programa ao abuso sexual infantil, feridas do pai e da mãe,

amargura, ódio, raiva, rejeição, pesadelos da indústria do sexo, a

desordem no sono, câncer no colo do útero em 2001, estresse póstraumático,

alcoolismo, doenças mentais, e muito mais. Deus também

restaurou meu casamento e as relações com a minha família. Até a

minha sogra me amava agora!

Tudo parecia perfeito. Havia apenas um pequeno problema.

DE JEITO NENHUM que eu ia voltar para a Califórnia como os nossos

familiares largamente esperavam. Eu não ia a lugar nenhum perto

daquele buraco do inferno novamente, então eu influenciei meu marido

a aceitar um emprego no Texas.

Garrett tinha certeza de que deveria aceitar o trabalho em Fresno,

Califórnia, mas eu estava determinada a nunca mais voltar para a

Califórnia! Eu tinha trabalhado por muito tempo e muito duramente

em minha recuperação para colocar meu pé recém-transformado no

maligno estado que era a casa da indústria pornô. De jeito nenhum!

Aquele capítulo da minha vida tinha acabado. De qualquer forma, eu

amava o Estado do Texas, o último estado verdadeiramente cristão na

América, oferecendo excelente educação; eu queria criar minhas filhas

com os melhores do Texas. Então, eu dirigi às pressas em todo país a

partir do Estado de Washington até Harlingen, Texas, perto da

fronteira do México. Eu Imaginei que falavam espanhol e eu amava o

povo espanhol por isso era simplesmente perfeito. Além do mais,

ofereceram a Garrett muito dinheiro para se mudar para Harlingen.

Embora, eu não entendesse por que ninguém mais queria o trabalho,

mas é claro que eu pensava que era o Favor de Deus. Perto de South

Padre Island, poderíamos pescar e nadar e viver em uma bela e grande

casa acessível com laranjeiras, enquanto Garrett fazia os grandes

negócios. Eu sabia exatamente o que eu queria.

Uma pequena voz sussurrava “Califórnia”, no meu ouvido, de tempos

em tempos, mas eu ignorava completamente. Na verdade, eu ignorei

todos os sinais que apontavam para a Califórnia. Com ambas as nossas

famílias extensas que vivem no sul da Califórnia e um trabalho

pagando elevadamente e feito sob medida para Garrett, eu ainda

insistia no Texas. Além disso, secretamente, eu queria evitar os sete

mandados de prisão que tinha deixado para trás na Califórnia em 1995.

Acho que eu ainda precisava de um pouco de “confiança” do trabalhar

que Deus estava fazendo em minha vida. De qualquer forma, eu tinha

uma carteira de motorista do Estado de Washington e não precisava

me preocupar com a bagunça que havia deixado na Califórnia.

Gostaria de apenas esquecer inteiramente a minha “ex” vida na

Califórnia.

Quando cheguei a Harlingen, Texas, com o Gypsy Kings tocando no

fundo, eu estava no céu, quando eu vi o sol derreter ao longo das

fileiras de árvores pelo vento das palmeiras. Era um paraíso mexicano.

Louvor em espanhol fluiu da minha boca enquanto eu agradeci a Deus

pelo clima quente e sol!

“¡Alabado Sea El Señor!” Eu gritei de minha mini-van.

Tão logo eu louvava ao Senhor, o cheiro de fraldas sujas subiu ao ar. Eu

raramente parava para idas ao banheiro a fim de chegarmos ao Texas

em tempo da escola começar. A pequena Abigail tinha quase dois anos

e suas fraldas estavam ensopadas com xixi. Teresa e Tiffany estavam

arrancando os cabelos junto com nosso gato Jinx. Sim, eu realmente

agüentei por 3.000km chocalho serpenteando a estrada com três filhas

e um gato. Foi uma tentativa insana e desesperada de uma mulher que

tinha sido liberada de 300 dias por ano de céu escuro e chuva.

Enquanto o sol me cumprimentou no topo das palmeiras que cobriam

a rodovia, cantei com meu coração mexicano.

Eu queria o sol mais do que qualquer outra coisa. Eu amava o Estado

de Washington, mas eu não podia viver mais um dia sequer na

escuridão. Eu precisava de sol!

Mas enquanto eu dirigia ao longo da rodovia para a cidade notei uma

coisa peculiar. Não havia pessoas brancas, em lugar algum. Eu era a

pessoa menos preconceituosa do mundo devido às experiências

“culturais” do meu passado, mas eu estava esperando que pelo menos

uma pessoa falasse Inglês. Eu estacionei e fui para o supermercado:

sem brancos. Eu fui para a fila dos alimentos rápidos: sem pessoas

brancas. Eu dirigi até o shopping: sem brancos.

“Hmmm”, pensei comigo mesma.

Felizmente, eu falava espanhol e conversei com os moradores e eles

todos disseram a mesma coisa: “No hay Hueros aqui.” Em outras

palavras, não existem pessoas brancas aqui.

Eu ia MATAR Garrett. Ele tinha visitado Harlingen para uma entrevista

de emprego e me disse que era um lugar maravilhoso para se viver. Ele

mesmo entusiasmado encontrou uma casa e fez uma surpresa quando

eu cheguei. Mas quando cheguei lá e vi uma casa velha em uma rua

pacata a algumas portas de distância de um estaleiro de sucata, sim eu

ia matá-lo.

Agora eu estou presa em um inferno mexicano com três filhas e um

gato, eu pensei comigo mesma. Era uma coisa insignificante eu saber

falar espanhol. Com raiva eu liguei para minha sogra para desabafar

sobre seu filho e ela quase me convenceu a dirigir todo o caminho de

volta para a Califórnia. Ela queria seus netos tão mal que queria

saboreá-los. Mas A Palavra de Deus bateu e me encontrei me

submetendo aos desejos do meu marido. Então, eu me submeti o

melhor que pude, logo depois que gritei no ouvido de Garrett por

telefone. Na manhã seguinte, acordei em um hotel e com minhas filhas

vestidas para seu primeiro dia de escola. Era o PRIMEIRO dia de Teresa

no jardim da infância.

Afligida pela enorme confusão em que estávamos, eu tentei fazer o

melhor e ter uma atitude de Campeã. Isso foi até a professora de Teresa

me receber na sala de aula.

“Alô. Bemvindo zala aula.”

Ok, minha filha estava lá para aprender o ABC, e não o "a, ber,cer ". De

jeito nenhum eu permitiria que alguém como uma professora com o

inglês quebrado ensinasse inglês para minha filha. Não demorou muito

para que a ex-La Huera Loca descobrisse isso. A boa mãe em mim

perguntou à professora se ela sabia Inglês, e ela me deu um sorriso

amarelo de volta.

“Estamos fora daqui”, eu disse à Teresa e voltei para o ginasial da

minha filha Tiffany, puxei-a para fora da escola. “O que está

acontecendo, mamãe?” Tiffany perguntou.

“Estamos recebendo o ticket para cair fora daqui!” Eu gritei enquanto

joguei o carrinho no porta-malas. As crianças choramingaram e

gritaram enquanto eu bufei sob a minha respiração. Eu quase poderia

ouvir a Deus rindo.

Quase.

Então eu corri para o escritório imobiliário e disse-lhes para colocar a

casa de volta no mercado, e que não iria precisar dela. Garrett ficou

preocupado porque já havia assinado um contrato com o hospital para

contratá-lo como técnico cardiovascular, mas nesse ponto, a mãe

protetora em mim estava imóvel. Nós não vamos criar nossas filhas, na

fronteira do México.

Eu aprendi minha lição e fiz um “U” de volta e mais 3.000km, e dirigi

direto para a casa da minha sogra, em Chino, Califórnia, onde a maioria

da família de Garrett vivia.

Mas eu jurei para mim mesma, que Garrett continuava tendo que

encontrar outro emprego em outro estado. Eu não ficaria na Califórnia.

Algumas semanas se passaram e nenhum outro trabalho abriu. Droga,

eu pensava. De repente, percebi que Deus estava envolvido, e quando

Ele se envolve, não há nada que alguém possa fazer sobre isso. Você

pode tentar fugir de Deus, mas Ele sempre deixará as 99 e virá te

pegar, e se necessário, quebrará suas pernas.

Minhas pernas texanas tiveram que ser quebradas quando eu aprendi

a submeter-me ao plano de Deus, na Califórnia.

Pelo menos ninguém me conhecia em Fresno, pensei.

Nós caçamos uma casa e é claro que eu queria a grande e bonita de 300

metros quadrados de doze hectares e Nogueiras. Eu não estava pronta

para plantar os meus pés na Califórnia e comprar uma casa, então

alugamos uma bela casa em Madera, na Califórnia.

A escola era bem na rua de cima e a vista de minha janela da cozinha

dava para um haras.

Era o paraíso de uma mãe.

Com duas de minhas preciosas e angelicais filhas matriculadas em uma

escola cristã e meu marido trabalhando no emprego perfeito ganhando

CINCO VEZES mais, do que no serviço militar, eu era uma mulher

abençoada. Eu era tão abençoada que estava convencida de que eu

vivia a vida perfeita. Bem, quase perfeita. Eu tinha meu coração

inclinado a pregar o Evangelho e ensinar os ensinamentos de Campeão,

mas não tinha certeza de onde tudo isso caberia. Assim, eu passava

meu tempo fazendo web design de casa e ganhando um bom dinheiro

com isso enquanto ainda servia o jantar todas as noites. Eu era uma

Mamãe máquina multifuncional!

Quando meu marido chegava em casa depois do trabalho, eu fazia

absolutamente tudo para lhe agradar. Ele testemunhará sobre isso um

dia eu tenho certeza. Ele aprendeu muito rapidamente que, quando

mamãe está feliz, todo mundo fica feliz. Então, ele continuou a

trabalhar duro, e me fazer feliz e nosso amor floresceu como uma flor

do campo. Estávamos tão apaixonados, eu lhe teria dado mais dez

bebês depois que Abiggail nasceu. Sem contar que, o médico disse que

depois da minha luta contra um câncer do colo do útero eu não poderia

ter mais filhos. Depois de deixar a indústria pornô eu descobri que

tinha HPV, o que levou ao início do câncer do colo do útero e onde eu

tive que ter metade do meu colo do útero removido.

De qualquer forma, ficamos felizes. Estávamos genuinamente felizes e

realmente não tinhamos um único problema no mundo. Até meus pais

e irmãos vieram até onde eu morava e aproveitaram nossa nova vida

conosco. Eu comecei a experimentar de perto a bondade e a

amabilidade da minha mãe. Ela tinha se tornado mais agradável ao

longo dos anos, e seu carisma iluminava o quarto. Sua grande

personalidade seu sorriso bonito, eu percebi que era muito parecida

com ela! Meu pai, continuava bonito e mais carinhoso, tinha

amadurecido ao longo dos anos e eu vi mais sabedoria sobre ele. Eu

percebi que eu os amava tanto e verdadeiramente os tinha perdoado.

Foi um momento incrível para mim.

Meus pais também passaram um tempo de qualidade com seus netos.

Aquilo significava o mundo inteiro para mim. Finalmente, depois de

tudo que a nossa família tinha passado, estávamos próximos. Uma

grande família feliz, eu preparava refeições para a maior parte das

festas já que morava mesmo no meio da Califórnia. Meu irmão morava

no norte e meu pais moravam no sul, perto da minha sogra, então a

licalização da minha casa era perfeita! E, claro, eu não me importava.

Eu tinha que mostrar minhas habilidades de limpeza e de cozinha, a

maioria delas tinham sido inspiradas por minha sogra Holandesa.

Quando eu me casei com Garrett, ela deixou bem claro que eu

precisava aprender a limpar e cozinhar. Graças a ela e a Garrett terem

tomado tempo para ensina-me as maneiras holandesas, eu nunca

estava sem um pedaço de pano em minha mão.

Ok, eu exagerei um pouco, mas é sério, eu quase sempre tinha um pano

em minha mão.

Minha mãe ficou chocada quando viu minha limpeza extrema e

comentou com minha sogra, “Bem, pelo menos ela ouve você.”

Sim, porque ela tirou tempo para ensinar-me, pensei. Mas segurei minha

língua. Na verdade, eu segurei muito minha língua durante os

primeiros anos na Califórnia. Claro, que segurei. Eu queria que todos

amassem a nova eu!

Com um novo futuro perfeito na minha frente, eu nunca pensava sobre

o passado por um minuto. Eu estava em uma alta perfeita e em um

mundo perfeito e nada poderia me derrubar. Nem mesmo os

ocasionais cristãos preguiçosos que coordenei.

Começamos a freqüentar uma igreja cheia do Espírito em Madera que

era muito diferente da que eu estava acostumada. Primeiro de tudo, os

Professores da Escola Dominical estavam sempre atrasados para a

aula. Eu não podia acreditar naquilo enquanto olhava para meu

relógio, todos os domingos. A Professora de Escola Dominical Campeã

em mim ficou estarrecida.

Em segundo lugar, o Pastor não ensinava muito da Palavra de Deus, o

que seriamente me incomodava. Eu pensei que iria morrer quando ele

passava a maior parte do tempo falando sobre os diferentes tipos de

demônios que havia em Madera.

Como se o diabo se importasse muito com Madera, pensei.

Mas o pastor, sua esposa e família eram realmente doces. Eu imaginei,

de qualquer maneira, que Deus estava me humilhando, provavelmente,

por uma razão. Eu imaginei que precisava. Eu estava muito inchada

com meu jeito de Campeã que eu não entendia quando alguém não era

excelente. Eu tinha sido ensinada a agir com excelência em tudo o que

fizesse durante sete anos no Centro dos Campeões. Eu tinha também

participado da Escola de Liderança para uma vida de Sabedoria onde

eu aprendi a liderança poderosa e as habilidades de trabalho em

equipe. A nova igreja que eu freqüentava agora não sabia nada sobre

os caminhos de um Campeão. Eles nem sequer tinham uma equipe de

louvor para as crianças! Deus me livre!

É claro que eu prontamente me ofereci para demonstrar à Igreja os

caminhos de um Campeão. Mas eu aprendi realmente rápido que

algumas igrejas são como a média das famílias americanas: estagnadas

e improdutivas. Eu não estava acostumada a viver uma vida medíocre

e meus métodos de vida Campeã ofenderam algumas pessoas. Triste e

confusa com a preguiça e a falta de excelência das pessoas para com a

Casa de Deus, eu estava prestes a parar de frequentar a igreja, quando

eu conheci uma mulher muito especial.

Sim, ela era uma campeã.

Seu nome era Pat e ela tinha um ministério poderoso em presídios.

Bem como o diretor e fundador de uma escola bíblica internacional, ela

também tinha um doutorado em Teologia e tornou-se definitivamente

a minha nova heroína. Ela foi a primeira mulher a chegar realmente a

ser como um mentor espiritual para mim em uma base regular. Tudo

começou na noite que ela ouviu meu testemunho. Foi a primeira vez

que eu compartilhei meu testemunho em uma igreja. É claro que eu

deixei de fora a parte do pornô.

“Shelley, você deve compartilhar o seu testemunho no presídio. Deus

tem feito muito por você!” ela disse para mim depois que eu falei. O

meu coração pulou de alegria! Era, finalmente, o momento que eu

estava esperando! Eu não tinha idéia de como compartilhar o meu

testemunho, mas eu sabia que podia falar. Então, ela me entregou um

livreto do presídio e me disse as regras e oh, me pediu para trazer

minha carteira de motorista da Califórnia.

Ai, pensei. Aquilo não iria funcionar. Eu não tinha e não teria uma

carteira de motorista da Califórnia. Meu coração se afundou. Eu me

ofereci para usar minha carteira de motorista de Washington, mas ela

disse que tinha que ser uma carteira de motorista da Califórnia. Meu

coração se afundou novamente.

Deprimida Deus falou comigo “Shelley, vá para o DVM –

(Departamento de Veículos Motores) e obtenha sua carteira de

motorista. Confie em mim.”

Hum, tá bom Deus, eu pensei. De jeito nenhum eu pisaria meus pés

naquele lugar. Mas depois de algumas semanas com Deus tocando no

meu coração para obedecê-Lo, eu finalmente concordei em ir para a

“guilhotina” e a confiar nEle, não importasse o quê acontecesse. Eu

realmente acreditava que seria presa e arrastada para a cadeia, então

eu disse adeus ao meu marido e filhas e disse-lhes eu os amava e “o que

tiver que ser, será.”

No momento que eu entrei no DVM senti uma dor extremamente

pessoal. Eu definitivamente não queria ou não merecia ir para a cadeia.

Eu tinha trabalhado muito duro para mudar os meus caminhos

malignos e agora de repente minha vida inteira estava por um fio.

Quando finalmente consegui transpor meu lado arrogante, decidi

tomar a posição de mártir e planejei que se eu fosse presa, eu

valentemente pregaria o Evangelho por trás das grades como uma

prisioneira de Cristo.

Eu era a próxima da fila. “Deus, por favor, me ajude a passar por isso”,

eu lhe pedi desesperadamente. Em seguida, uma velha voz familiar

veio para mim e sussurrou: “Apenas minta, Shelley. Você pode mentir

para sair dessa.” Mas eu repreendi a voz baixa e familiar e escolhi dizer

a verdade e que Deus me ajudasse.

“Nome e número do seguro social, senhora?” Uma senhora plácida

exigiu de mim. Dei-lhe os meus dados e então ela perguntou se eu já

havia tido uma carteira de motorista da Califórnia antes. Fiz uma

pausa. O diabo se inclinou para frente. Deus se inclinou mais perto

e eu engoli em seco e corajosamente respondi: “Sim, eu já tive uma

carteira de motorista da Califórnia antes.”

Então a senhora digitou alguns números, olhou fixamente para a tela

do computador e de repente olhou para mim e disse: “Por favor,

aguarde aqui.”

Então ela se afastou. Nada bom!

Enquanto me preparava para as diferentes formas de como o DVM

poderia me prender, orei novamente a Deus e lembrei-Lhe de Sua

eterna bondade e misericórdia. Sim, veja que eu conhecia a Palavra de

Deus agora, e poderia repetir Sua própria Palavra de volta para Ele.

Deus tinha que manter Suas promessas de acordo com o que Sua

Palavra diz. Recordei-lhe disso.

A senhora voltou, olhou para mim e disse: “Nós não temos qualquer

registro de sua carteira de motorista anterior por isso vamos apenas

emitir uma novo.”

Atordoada, eu coloquei minha mão sobre minha boca para não gritar

em voz alta. Quem era eu para ter tanto Favor de Deus?

Eu tentei manter a calma quando recebi minha carta de papel nova

enquanto e escondi meu sorriso arrebentando interiormente. Quero

dizer, vamos lá, quantas as pessoas saem ilesas de sete mandados de

prisão desse jeito?

“Ha, ha!” Eu ri para o diabo enquanto dançava ao redor do

estacionamento do DVM como uma dançarina com chapéu mexicano.

Como eu fazia o cha-cha-cha na minha mini-van, louvei a Deus em

Inglês, Espanhol, e toda santa linguagem que me veio à mente. Deus me

levantou tão alto naquele dia, que eu pensei que iria voar para o céu!

Certamente, Deus é fiel, eu cantava mais e mais enquanto acenava

minha licença de papel em volta no ar, enquanto dirigia para casa.

Pessoas em seus carros me olhavam como se eu estivesse louca. Mas eu

não me importei. Eu sabia quem Deus, o Todo-Poderoso era, e

certamente Ele estava do meu lado!

Quando eu recebi minha carteira de motorista pelo correio, eu beijei-a

e soprei um beijo especial para Deus. “Obrigada, Papai”, eu sussurrei.

Que Pai bom e fiel que eu tenho, pensei.

Carteira de motorista na mão e pronta para conquistar, eu apareci no

Presídio Faminino Central da Califórnia, em Chowchilla, Califórnia, em

maio de 2003. A prisão de segurança máxima era literalmente de

frente para o meu quintal. Eu sempre pensei que se as presas

tentassem uma fuga, eles apareceriam primeiro em minha casa.

Mal sabiam as presas que estavam em um enorme tratamento, e eu

claro, para minha primeira experiência real de “sujar” minhas mãos

espirituais. Ao contrário de Centro dos Campeões, onde todos usavam

roupas divinamente elegantes e Bíblias brilhantes, as presidiárias

estavam vestidas de azul e todas as carregavam Bíblias pretas abatidas

e rasgadas.

Este lugar é duro, eu pensei enquanto olhava para desastres de

mulheres com cabelos oleosos e com dentes faltando. Mesmo eu não

parecia tão mau após oito anos de um duro inferno.

Quando Pat terminou o culto e alegremente me apresentou às presas,

eu respirei fundo, pedi a Deus para me ajudar e bravamente caminhei

até o palco sujo. Com um esboço perfeito escrito em minhas mãos, eu li

cada palavra do meu papel celestial. As presas não ficaram

impressionadas. Algumas delas até bocejaram.

Talvez eu precise ficar mais dura, eu pensei enquanto me permiti um

mergulho de volta ao meu passado. Então, eu soltei o meu papel, “Eu

fui uma atriz pornô, eu peguei herpes genital e Deus me curou.”

Suspiros de toda a sala continuavam enquanto eu compartilhei tudo o

que Deus tinha feito por mim. Meu passado horrível entrelaçado com

Deus e a cura incrível da minha vida, minha história se transformou em

um poderoso testemunho.

No final do meu sermão, eu perguntei se alguém na platéia queria

conhecer Jesus Cristo, que salvava as prostitutas e estrelas-pornô e

para minha surpresa, quase todas as detentas correram em fila para a

oração.

Uau, pensei. Esta é a vida cristã para mim!

Quando uma presa bruta se aproximou de mim e queria oração por

tudo, desde abuso sexual, até o vício, eu coloquei minha mão em sua

cabeça oleosa e orei por um toque poderoso de Deus sobre sua vida.

Enquanto eu orava contra Satanás e quebrava o poder das mentiras

que a prendiam em cativeiro, eu olhei para baixo e vi que estávamos

em pé sobre uma pequena poça de lágrimas. Eu não podia acreditar. O

poder do amor de Deus havia tocado a grande e assustadora mulher e

ela se tornou uma criança berrando quebrantada. A partir desse

momento, eu sabia que tinha sido chamada para aprisionados. Comecei

a ser voluntária todas as semanas, como uma conselheira na prisão

onde eu ensinei os ensinamentos de Campeão, orei para e com as

presas, e fiz aconselhamento de presidiárias.

Agora eu poderia passar aos outros, o que Deus havia feito por mim.

Não muito tempo depois que eu comecei, Pat e seu marido se mudaram

e deixaram o ministério para mim e Garrett executarmos. Quando ele

não podia estar comigo, muitas vezes eu estava sozinha e trancada com

mais de 100 presidiárias. Mas eu amei cada minuto! Eu nunca tinha

visto tantas mulheres tão desesperada por Jesus na minha vida.

Exultante pelo ministério na prisão e incentivada por Pat a continuar

minha educação em estudos bíblicos, me matriculei no Instituto

Internacional Colheita onde eu aprendi poderosos e novos

ensinamentos. Com cursos como Estratégias Espirituais para a Guerra,

Estratégias Espirituais para Colheita, Metodologias de Mobilização

para Evangelismo, e mais, Deus começou a preparar-me para um

ministério poderoso. Eu não sabia disso na época, mas Ele estava em

uma missão para transformar-me em uma missionária norteamericana.

Ao mesmo tempo que comecei a minha formação bíblica em Madera,

outra coisa aconteceu. A igreja cheia do Espírito Santo que eu

frequentava anunciou que uma pregadora convidada especial estaria

na reunião mensal das mulheres. Ela foi anunciada como uma

profetisa.

Ok, pensei. Isso é estranho.

Não havia profetisas apenas no Antigo Testamento? Perguntei a uma

senhora. Ela apenas sorriu para mim e me incentivou a vir e ouvir a

Palavra do Senhor. Então, com a minha guarda levantada, cheguei no

horário e fiquei lá de braços cruzados. Tornei-me especialmente

alarmada quando vi que a menina que subiu para falar não era mais

velha do que 25 anos. Como se Deus não pudesse usar uma jovem

mulher para falar comigo.

Mas eu estava engessada no meu jeito de Campeã. Eu queria ouvir as

Escrituras e sabedoria, não alguma menina abrir a boca para falar o

que ela achava que tinha “ouvido” Deus falar.

De repente, ela começou a andar no palco e gritou para a multidão que

o Espírito Santo queria mover-se profeticamente naquela noite.

O que é profético? Pensei. Então ela começou a apontar para algumas

das mulheres na platéia e disse que elas estavam se destacando e que

Deus tinha uma mensagem para algumas senhoras naquela noite.

Inesperadamente, ela apontou para mim e disse para eu ficar em pé,

que Deus tinha uma palavra para mim. Olhei em volta. Ela

possivelmente não estava querendo dizer eu.

“Quem, eu?” Eu perguntei. As outras senhoras me mandaram levantar

para ouvir a Palavra que ela tinha para mim. Ela começou a falar. “O

Senhor diz para você, que Ele fez você destemida. Na verdade, Ele está

fazendo você tão ousada, que eu vejo uma foto de você tinindo seu

copo em um restaurante com ousadia e oferecendo libertação para

todos ao seu redor.”

Eu me encolhi. Eu jurei nunca sair para jantar novamente. Ok, como

esta mocinha poderia saber que eu era destemida? Eu tinha que

admitir que ela estava certa sobre aquilo.

Ela continuou, “Deus diz a você que você tem uma mensagem profética

e os líderes da Igreja precisam ouvir você.” A líder em mim gostou

dessa parte.

Então ela me chamou no palco e na frente de todos, ela me disse que

tinha sido dada a mim a unção de Débora e que eu tinha sido chamada

para ser o alarme de incêndio da Igreja e tinha uma mensagem

poderosa de advertência.

Quem é Débora? Eu pensei nervosamente. Como eu sou um alarme de

incêndio para a Igreja? Eu me perguntava.

Foi quando eu comecei a me sentir muito desconfortável. Mas a jovem

profetisa não parecia se importar. Ela me fez abrir as palmas das mãos

e ela deu um tapa com a mão dela e de repente um incrível poder fluiu

por todo meu corpo. Então ela colocou as mãos em mim e “ativou” uma

nova ousadia em mim na qual Deus queria operar.

Então eu caminhava de volta para baixo do palco, estranha e me sentei

no meu lugar. Mulheres ao meu redor começaram a me cutucar

dizendo que elas ficaram animadas pela Palavra que eu recebi.

O que aconteceu comigo? Eu me perguntava. Eu me senti diferente e

algo dentro de mim estava muito animado. Na verdade, meu espírito

estava saltando dentro de mim. Então de repente, a profetisa chamou a

minha filha Tiffany e disse que ela viu baterias e que Tiffany tinha

poderoso dom musical. De repente eu lembrei os velhos tempos

quando encontrava minha filha de quatro anos batendo em caixas de

madeira com meu sapato e colheres enquanto ela assistia à MTV.

Tiffany e eu só olhávamos uma para a outra. Sabíamos que Deus estava

falando conosco através dessa profetisa de 25 anos de idade. Eu fui

humilhada para dizer o mínimo.

Agora que minha teologia tinha sido esmagada e a reunião terminou, as

mulheres animadamente conversavam sobre suas “palavras”,

enquanto eu silenciosamente peguei minhas coisas para sair.

Débora, quem é Débora? Eu pensei enquanto tentava lembrar dela na

Bíblia. Mas enquanto estava lá pensando, outra senhora se aproximou

de mim. Ela era uma doce velhinha que eu via todos os Domingos,

então é claro, eu quis ser educada e ouvi-la.

“Desculpe-me, querida, o Espírito Santo me disse para lhe dizer que

você é Sua Noiva Guerreira.” Ela sorriu, me abraçou e depois afastouse.

Hum, tá certo que isso foi ainda mais estranho, pensei enquanto peguei

minha filha Tiffany para sairmos de lá. A igreja provou ser muito

estranha para mim e eu sumi para casa para dizer a Garrett que eu

precisava de uma nova igreja.

Quando cheguei em casa ele estava dormindo e eu não queria acordálo

pois ele tinha que se levantar cedo para trabalhar. Então, eu peguei o

computador e verifiquei os e-mails. Tiffany foi para a cama, enquanto

sentei-me e “pensei” sobre o que tinha acontecido. Eu não podia afastar

a sensação de que cada palavra que a jovem profetiza tinha dito era

verdade.

“Muito Bem, Deus”, eu finalmente falei em voz alta, “se alguma coisa do

que aconteceu hoje é verdade, eu vou precisar de alguma prova. Proveme

agora que é verdade e eu vou acreditar. Mas eu tenho que saber

que é Você.”

Deus me surpreendeu quando Ele me perguntou: “Como você quer que

Eu prove?”

Eu olhei para o meu computador e vi a tela do Google e assim me atrevi

a pedir a Deus para que me mostrasse UMA página web com os dois

termos de pesquisa “Unção de Débora” e “Noiva Guerreira” e que, se

AMBOS os termos de busca aparecessem em UMA página web, eu

creria Nele. Eu deixei claro a Ele que os resultados tinham que ser em

uma página web, e não em um site.

Deus respondeu: “Feito.” Então, eu dei meio que uma afastada no

teclado com um sorriso no meu rosto e digitei os dois termos no

Google e pressionei “Enter.”

Então eu cliquei no primeiro link e de repente meus olhos estalaram

quando vi uma página web que dizia: “Unção de Guerra”, com um

artigo sob o título “Noiva Guerreira: As Quatro Unções”, e nessa lista a

Unção de Débora era uma das quatro unções espirituais de guerra.

Eu caí da cadeira e adorei a Deus. Era literalmente impossível que uma

página web mostrasse os dois termos. Quando eu finalmente consegui

voltar para minha cadeira a ler a página web novamente, voltei para os

resultados do Google e vi que NÃO HAVIA NENHUM OUTRO SITE que

listou qualquer desses termos em um único lugar. Apenas uma página

web tinha um deles.

Ainda balançando a cabeça em descrença, eu procurei no Google para

aprender sobre a Débora bíblica. Quando li que ela levou dez mil

homens para a guerra, eu sabia. Eu sabia que era eu. Eu sabia que de

alguma forma era isso que fui chamada para fazer. Mas eu não sabia

como. Eu também li que Débora foi a única juíza do sexo feminino, líder

militar e profetisa e que apenas Samuel e Moisés também realizaram

esses três ofícios.

Oh, uau pensei. Fiquei ainda mais humilhada. Quem sou eu para ser

uma profetisa de Deus? Perguntei-me em reverência completa.

Na manhã seguinte, levantei-me cedo para dizer a Garrett o que Deus

fez, e ele apenas sorriu. Ele já sabia que sua ousada esposa tinha um

grande propósito.

Embora eu não tivesse certeza de que propósito era esse, eu continuei

meus estudos eu me voluntariei na prisão e em uma missão local de

resgate até que um dia Garrett anunciou que teríamos que nos mudar,

porque Deus o tinha abençoado com um trabalho ainda melhor.

Inconsolável por deixar as prisioneiras e a missão de resgate para trás,

eu perguntei o que Deus estava fazendo. Quando eu perguntei a Garrett

para onde teríamos que nos mudar ele respondeu: “Bakersfield.”

Engoli em seco. Por que Deus estava nos mudando para mais perto de



Los Angeles?

Nenhum comentário:

Postar um comentário