domingo, 7 de agosto de 2016

Capítulo 2 - A Verdade por trás da fantasia da pornografia [Livro de Shelley Lubben]

Uma Confissão que entrem os palhaços.

Capítulo Dois

Meu nome pornô era Roxy e eu executei meus truques de circo em cerca de 30 filmes de “hardcore”, entre 1993 e 1994. De anais para orais a orgias e interraciais, não havia nada que eu não faria para provar ao mundo que eu me tornaria a próxima sensação e a mais quente estrela pornô. Eu poderia fazer malabarismos e bater bola com o melhor deles.

Comecei meu treinamento pornô aos nove anos de idade, quando eu fui sexualmente abusada por uma colega de classe e seu irmão adolescente em uma piscina. Eu era uma garota normal que fazia coisas culturalmente normais como brincar com bonecas Barbie e assistir a Vila Sésamo, quando do nada meu boneco Ken decidiu jogar para muito longe a fantasia e puxar para baixo de seus troncos a Barbie, violentando-a. Tornei-me uma menina danificada e “suja” do dia para a noite.

Garotinhas danificadas são exatamente as presas que a indústria pornô precisa e depende. Estima-se que 90% dos artistas de pornografia são sobreviventes de abuso sexual e a idade média de uma atriz pornô é 22,8 anos de idade. (16, 17) Repito, garotinhas danificadas. De acordo com a ex-atriz pornô April Garris, conselheira de ex-estrelas pornô, “na maioria dos casos, em cada caso há algum fundo de abuso sexual na infância ou negligência.” (18)

A rainha pornô Jenna Jameson, que é a estrela pornô mais acessada na Internet, foi também uma menina danificada um pouco antes de entrar no pornô. Na autobiografia de Jameson, ela descreve a negligência dolorosa e o uso de drogas de seu pai, dois estupros na adolescência, vícios de drogas, e diversos casos com homens e mulheres. Jenna alega que seus estupros não tiveram nada a ver com a sua escolha em seguir carreira pornô. (19) Ela tem o que eu gosto de chamar Clássico Pano de Fundo do Pornô.

O Clássico Pano de Fundo do Pornô (CPFP) é uma compilação realista de experiências traumáticas do passado e atuais de uma estrela pornô, que incluem o abuso sexual na infância, a exposição à pornografia, negligência material dos pais, abuso físico, abuso verbal, disfunção familiar, uso de drogas, estupro e revitimização sexual. O efeito cumulativo de todas essas experiências negativas faz com que as vítimas desenvolvam inconscientemente um poderoso sistema de autoproteção conhecido como mecanismos de defesa.

Mecanismos de Defesa

Definição: Sistemas de autoproteção projetados para diminuir ou reprimir certos pensamentos, sentimentos ou lembranças de entrarem na mente consciente.

Os 10 Principais Mecanismos de Defesa de Estrelas Pornô

1) Atuando – Realizando um comportamento extremo, a fim de expressar pensamentos ou sentimentos que a pessoa sente, e expressa de outra forma.

2) Negação – se recusar a reconhecer algum aspecto doloroso da realidade ou experiência subjetiva que seria extremamente aparente para os outros.

3) Deslocamento – liberando frustrações, sentimentos e impulsos em pessoas ou objetos que são menos ameaçadores. Por exemplo, a violência contra mulheres por pornógrafos que sentem raiva de suas mães.

4) Fantasia – usando devaneio ou imaginação para escapar da realidade em um mundo fictício de sucesso ou de prazer.

5) Humor – apontando os aspectos engraçados ou irônicos de uma situação, a fim de lidar com ela. Por exemplo, fazendo piadas sobre as suas próprias doenças sexualmente transmissíveis.

6) Idealização – atribuindo exageradas qualidades positivas aos outros, como pensar elevadamente de um pornógrafo “amigável”.

7) Onipotência – sentindo ou agindo como se ele ou ela possuísse poderes especiais ou habilidades e fosse superior aos outros.

8) Projeção – negando os próprios traços desagradáveis, comportamentos, ou sentimentos, atribuindo-os a alguém. Por exemplo, acusando Shelley Lubben de ser uma prostituta que quer atenção.

9) Racionalização – explicar um comportamento ou sentimento inaceitável de uma maneira racional ou lógica, evitando as verdadeiras razões para o comportamento. Por exemplo, uma estrela pornô que está virada para baixo para uma filmagem pode racionalizar, dizendo que o produtor prefere filmar de qualquer maneira as meninas feias.

10)Repressão – a exclusão inconsciente de impulsos dolorosos, ou temores da mente consciente. Freqüentemente envolvendo impulsos sexuais agressivos, ou dolorosas memórias da infância, esses conteúdos mentais não desejados são empurrados para o inconsciente.

Em termos de um parque de diversões, as estrelas pornô são como focas amestradas e têm atos difíceis a seguir. Somos trapezistas, mágicos, palhaços, acrobatas, contorcionistas e caminhantes da corda bamba. Nós somos os maiores artistas do mundo, e mentirosos. Quando éramos abusados sexualmente quando crianças, fomos forçados a acreditar que nós éramos bons para apenas uma coisa. Sexo.

Estávamos com medo de contar isso, nunca tivemos uma escolha ou recursos para curar nossas feridas sexuais e negligência, assim quando nós nos sentimos rejeitados, isso se transformou em uma vingança raivosa de garotinhas atuando em nossa dor para chamar a atenção. Mas nossos pais não prestaram atenção. Igrejas não prestaram atenção, nem nossas escolas prestam qualquer atenção. Na verdade ninguém presta atenção para as aberrações da mutação natural que tínhamos sofrido. Certamente as nossas deformidades foram perceptíveis. Estávamos na cama, com comportamentos sexuais desviantes, rebeldes peculiares que arrancaram seus cílios e brincaram com seus órgãos genitais. Éramos molestadoras de outras crianças e até mesmo repreendidas por isso. Nossos jogos da infância consistiam de esconder e mostrar minhas partes íntimas e se de verdade você se atrever a me mostrar a sua eu te mostrarei a minha. Nosso show de horrores estava no centro do palco para o nosso país e o mundo inteiro ver. Mas ninguém prestou atenção. Ninguém jamais nos perguntou o que aconteceu e nós fomos abandonadas a nós mesmas em lágrimas e vergonha para sobreviver e treinar para a única coisa que nós acreditávamos que éramos boas: sexo sujo e imundo.

Quando entramos em nossa adolescência, descobrimos que a nossa sexualidade poderia ser usada como uma ferramenta para ganhar de volta o controle a começar pela a sociedade, por ter nos ignorado por tanto tempo. Seguimos os modelos mais antigos de rebeldia como Madonna, e isso se manifestou nas micro-saias e nas camisas apertadas. Fazia todo o sentido para nós, pois sabíamos que iríamos ganhar a mesma admiração de meninos doentes e homens mais velhos que ela tinha recebido do mundo. Nós fomos manipulando os nossos colegas com a conduta sensual e os favores sexuais, e crescendo em conhecimento do grande poder superior que possuíamos.

Quando entramos em nossa vida adulta, nos tornamos espetáculos sexuais e exigimos maior pagamento na forma de atenção e em dinheiro como compensação pela negligência e abuso sexual que sofremos quando crianças. Eu gosto de chamá-lo de Pagamento da Estrela Pornô. Vamos mentir para obtê-lo. Vamos roubar para obtê-lo.

Vamos nos prostituir e arriscar nossas vidas para obtê-lo. Estrelas pornô podem fazer malabarismos com HIV, gonorréia e clamídia enquanto nós sem medo nos reinfectamos com mais da mesma DST. Nós podemos fazer proezas incríveis com nossas mentes e corpos que aterrorizariam as pessoas mais comuns. Podemos caminhar uma fina linha da morte e da vida em grandes alturas, sem qualquer medo de cair. Com a ajuda das drogas e do álcool as nossas capacidades são aprimoradas para tolerar uma enorme quantidade de dor física, mental e emocional. Nossos corpos infectados são cobertos de feridas e traços de contusões escondidos sob nossa ousadia e queima de imagens.

Somos superstars pornográficos, atuando na maior aberração do mundo visível em algum site perto de você! Heróico como o "supers" podem aparentar, muitas estrelas pornô tragicamente, e infelizmente, mergulham em suas mortes precoces. Por baixo uns 1.500 atores entre 2007 a 2010. Sabemos que 34 pessoas morreram de AIDS, suicídio, drogas e homicídio. Mais outros 17 atores morreram prematuramente de causas médicas que incluem doença pulmonar, insuficiência cardíaca e câncer. (20, 21) Isso dá um total de 51 mortes prematuras. Nenhuma outra indústria tem esse tipo de estatística, nem mesmo a indústria da música que é pelo menos 10 vezes maior do que a indústria pornô.

Em 2009, a indústria da música lançou 97.751 álbuns em comparação com um total de apenas 13.056 títulos pornô lançados, incluindo filmes amadores. (22, 23) Entre 2007 e 2009 houve 9 mortes relacionadas com drogas e dois suicídios entre cantores e músicos em uma indústria de 12.765 empresas de gravação em comparação com 10 mortes relacionadas com as drogas e oito suicídios em uma indústria com apenas cerca de 900 empresas de pornô. (24, 25, 26, 27) Isso significa uma morte para cada 1.160 gravações de empresas de música contra uma morte para cada 50 em empresas pornográficas.

Não é preciso ser um gênio da matemática para entender que a indústria pornográfica é drasticamente menor do que a indústria da música e ainda assim, tem as taxas mais altas de mortes relacionadas às drogas e suicídios. Repito, nenhuma outra indústria destrói mais pessoas do que a indústria pornô!

Além disso, quando as mortes de 129 estrelas pornô durante um período de cerca de 20 anos foram analisadas, foi descoberto que a expectativa média de vida de uma estrela pornô é de apenas 37.43 anos enquanto a expectativa de vida média de um americano é 78.1 anos. (28) Ainda recentemente, em junho de 2010, o ator pornô Stephen Hill matou um colega e feriu outros dois em um ataque com uma espada em um estúdio pornô em Van Nuys, Califórnia. A vítima tinha 30 anos de idade, era o ator pornô Herbert Wong. Os acontecimentos tristes e trágicos não terminaram aí. A caçada policial continuou e Stephen foi encontrado em sua casa em Chatsworth. O ator pornô de 34 anos morreu depois de cair de um penhasco após um impasse com o Departamento de Polícia de Los Angeles e a equipe da SWAT. Foi dito que se ouviu dele pouco antes de sua morte: “Não era para ter acontecido dessa maneira.”

A indústria pornô nunca deveria acontecer desta forma. Mas 1 em cada 4 americanos fazem isso acontecer. Enquanto as mulheres e homens no pornô destruiam-se com drogas, álcool e suicídio estávamos sentados de braços cruzados em nossos computadores com a “pipoca” em uma mão e nosso mouse na outra, avidamente clicando sobre suas vidas. Que Deus perdoe nossa maldade.

Rosto triste e pintado que faz as massas rugirem No trapézio leões, focas e emoções enquanto você, triste prostituta encara isso Deve haver algo mais do que a morte e o sangue do circo Pelo quê você está morrendo?

por Shelley Lubben

Nenhum comentário:

Postar um comentário