domingo, 7 de agosto de 2016

Capítulo 1 - A Verdade por trás da Fantasia da Pornografia [Livro de Shelley Lubben]

Shelley Lubben

A VERDADE POR TRÁS DA FANTASIA DA PORNOGRAFIA.

A MAIOR ILUSÃO NA TERRA.

A VERDADE POR TRÁS DA FANTASIA DA PORNOGRAFIA.

© 2010 publicado por Shelley Lubben Communications
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida de qualquer forma exceto em breve citações, sem a permissão do autor.

Para livros e outros materiais de ensino por favor contate:Shelley Lubben
www.shelleylubben.com
Escrito por: Shelley Lubben
Desenho da capa: Eric Ridolfi
Design de Interior: Shelley Lubben
Editor: Mike Valentino
Tradução: Rosaine Dalila Scruff
Contato: semeadora777@gmail.com

ISBN 13 dígito 978-1-453-86007-6

Biblioteca do Congresso informação disponível
Impresso nos Estados Unidos da América

Fontes:

Todas as citações bíblicas, salvo indicação em contrário, são retiradas da Bíblia Sagrada, Nova Versão Internacional ®, NIV ®. Copyright © 1973, 1978, 1984 por Bíblica, Inc. ™ Usado com permissão da
Zondervan. Citações bíblicas marcadas como NASB são tiradas da New American Standard Bible ®, Copyright © 1960, 1962, 1963, 1968, 1971, 1972, 1973, 1975, 1977, 1995 pela Fundação Lockman. Usado com permissão. As citações bíblicas marcadas como ESV são retirados da Bíblia Sagrada, Versão Inglês Standard® (ESV ®), direitos de autor © 2001 por Crossway, um ministério de publicações da Editora Boa Nova. Utilizado com permissão. Citações bíblicas marcadas como NKJV são tiradas da Versão New King James®. Copyright © 1982 por Thomas Nelson, Inc. Usado com permissão.

Conteúdo

≈ ATO I ≈

A VERDADE SOBRE O PORNO

I Sob o Grande Topo

II Que entrem os palhaços

≈ ATO II ≈

CONHECA A NARRADORA: SHELLEY # 1

III Nascida para ser má

IV Inferno Crescente

V O Inferno de uma Prostituta

VI Portões do Inferno

VII Mesmo Morta

VIII Stripper Psicopata

IX Desafiando a Morte

≈ ATO III

CONHEÇA ROXY A ESTRELA PORNÔ

X A Vingança de Roxy

XI Usada e Abusada

XII Inferno Humano

XIII Última Chance: Ato final

≈ ATO IV ≈

DOIS MUNDOS SE COLIDEM

XIV POOF, ele está aqui!

XV Invadida pelo Amor

XVI Madalena Casando

XVII Você e Qual Exército?

≈ ATO V ≈

CONHEÇA SHELLEY #2

XVIII Isso é Apenas um Teste

XIX A Entrega Militar Especial

XX O Trauma do Coração de Mamãe

XXI A Melhor Rua

XXII Não deixe que os D’s parem você!

XXIII Chamada de alerta

≈ ATO VI ≈

CONHEÇA SHELLEY #3

XXIV Construindo a Mente de um Campeão

XXV A Vida do Campeão

XXVI Jornada ao Paraíso

XXVII Para o Inferno com o Paraíso

XXVIII A dor do porno em Tiffany

XXIX Jornada ao Inferno

XXX A Profecia Circus Maximus

Agradecimentos Especiais:

Gostaria de expressar minha sincera gratidão a algumas das lindas pessoas que me ajudaram desde que a minha recuperação teve início em 1995.

Ao Pastor Kevin Gerald que me ensinou a sabedoria e como viver a Vida de um Campeão.

A Pat e Hulsey Argis que me orientaram nos caminhos do ministério e me ensinaram: "Maior é aquele que está em você do que aquele que está no mundo.”

Aos membros da equipe Pink Cross Foundation, que me ajudaram a construir um legado lindo de amor e compaixão para com os feridos. Para Roger meu colega chegado e um William Wilberforce dos dias
modernos, que é incansável na causa dos direitos humanos.

Para Judith Reisman, que muito me inspirou por sua ousadia e inflexível determinação para expor a sabotagem sexual de nossa nação.

A Tiffany, Teresa e Abigail que são troféus da Graça de Deus e doçura dos anjos, enviadas de cima para trazer cura e beleza em minha vida. Para Melanie, a minha mais querida e melhor amiga e serva pessoal que ministra a mim, sem falhar em grande amor e humildade.

Ao meu amado e verdadeiro amigo, meu marido Garrett, que resgatoume do fosso lamacento e me levou a uma grandeza imensa. Eu te amo Garrett com um amor ardente e apaixonado.

Dedicatória

Gostaria de dedicar este livro a centenas de mulheres e homens que morreram na indústria pornô de AIDS, suicídio, homicídios e mortes relacionadas com drogas.

Sua voz será ouvida agora.

Uma Palavra de Shelley

Qualquer um que tentar escrever um livro sobre suas horríveis experiências dentro da Indústria pornô operadas ilegalmente e anos de abuso sexual desde a infância à prostituição, enfrentará uma tarefa terrível, e precisa de grande amor e compreensão dos leitores. Esta foi a coisa mais difícil que eu já tive que fazer e levou anos de preparação, dor e oração antes que eu pudesse fazê-lo. Mas pela graça de Deus Todo-Poderoso, eu escrevi e agora eu preciso que você leia-o. Eu preciso que você leia sobre a exploração e violência contra as mulheres e homens na indústria pornô para que você possa começar a ser curado. Eu preciso que você sinceramente entenda que toda vez que você clica para ver um site pornô você está contribuindo para a destruição de valiosas vidas humanas. Eu preciso que você leia este livro até a última palavra dele e, em seguida, curve a cabeça humildemente perante o céu e lamente em lágrimas até que a única força que você tenha seja a de parar de ver pornografia.

Este livro foi especialmente escrito para meus preciosos amigos que ainda estão presos dentro da indústria pornô. Eu humildemente peço que vocês leiam este livro e permitam-me tornar-me seu espelho da verdade. Meu coração dói profundamente com a idéia da dor que você vai encontrar quando virar as páginas deste livro e entender o mal onde você está verdadeiramente escravizado. Mas estou confiante de que uma vez que você saiba a verdade, a verdade o libertará para jogar fora os grilhões da vergonha e abuso e vitoriosamente saltará para a maior vida que você já viveu!

Deus abençoe a todos e seja livre!

Uma Confissão 

Ato I - A Verdade por trás do Pornô

I - Uma Confissão

Sob o Grande topo

Capítulo Um

Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. - João 8:32

Sexo empacotado em filmes pornô com loiras quentes em uma cama suja, com um olhar que diz: "Quero você", é a maior ilusão do mundo.

Confie em mim, eu sei. Eu tolerei oito anos em clubes de strip e prostíbulos, moldando meu caminho para o Grande Topo, onde a mim foi prometida fortuna, fama e glamour. Eu tinha 24 anos quando entrei no mundo da pornografia.

Eu fui colocada em um bom show, mas eu nunca gostei de truques de desempenho em um circo de sexo e preferia passar o tempo com Jack Daniels (bebida alcoólica) em vez de passar com os artistas do sexo masculino que eu era paga para ser falsa com eles. Isso mesmo, nenhuma de nós, loiras quentes, gostamos de fazer pornô. Na verdade, nós odiamos isso. Nós odiamos nossas pernas se abrindo sexualmente para homens doentes. Nós odiamos ser degradadas com seus cheiros ruins e corpos suados. Algumas mulheres odeiam tanto que eu podia ouvi-las vomitando no banheiro entre as cenas. Podia encontrar outras pessoas fora, fumando cadeias intermináveis de Marlboro Light.

Mas a indústria multi-bilionária do pornô quer que você acredite na fantasia de que as atrizes pornô adoram sexo. Eles querem que você compre a mentira de que nós gostamos de ser degradadas por todos os tipos de atos repulsivos. Filmes editados de forma criativa e embalagens bonitinhas são projetados para fazer uma lavagem cerebral nos consumidores, e fazê-los acreditar que a luxúria retratada nos rostos quentes e incomodados, faz parte do ato. Mas a realidade é que as mulheres estão com uma dor indizível por ser espancadas, estapeadas, cuspidas, chutadas e xingadas, como “prostitutazinha suja” e “banheiro de gozo.”

Enquanto filmava o filme “Sexo Bruto 2”, a estrela pornô Regan Starr descreve em termos horríveis em uma entrevista à revista Talk Magazine em fevereiro de 2001, “que enquanto atos sexuais eram realizados, ela era espancada e sufocada até que não conseguia respirar”. Outras “Atrizes”, disse ela, “choraram porque estavam sendo machucadas profundamente.” (1)

A ex-atriz pornô Jersey Jaxin também descreveu o tormento e o abuso, que ela experimentou no set pornô. “Os caras te socando em seu rosto. Você tem sêmen em todo o seu rosto, em seus olhos. Você é machucada.

Suas entranhas podem vir para fora. É interminável. Você é vista como um objeto e não como um ser humano com um espírito. As pessoas não se importam. As pessoas usam drogas porque não conseguem lidar com a maneira como estão sendo tratados.” (2)

Há uma razão pela qual as drogas e o álcool são abundantes na indústria pornô. Becca Brat, que realizou mais de 200 filmes, disse-me quando ela deixou o pornô em 2006, “Eu saí com um monte de gente da Indústria Adulta, todas as meninas tinham contratos para ser atrizes de pornô gonzo1. Todos tinham os mesmos problemas. Todos usam drogas. É um estilo de vida vazio tentando preencher um vazio.”

O ator pornô Christian XXX também fala abertamente sobre o uso de drogas generalizado. Ele escreveu em seu blog em janeiro de 2008, “Eu tenho visto todos os tipos de drogas no set, nas festas, nos carros, em todos os lugares. Se eu tivesse que adivinhar, eu colocaria o uso da maconha a 90% por todas as pessoas envolvidas na indústria (atores, diretores, equipes, agentes, motoristas, proprietários, trabalhadores de escritório, etc.) Eu estava filmando com uma garota que morreu DURANTE uma cena de sexo comigo (ela havia abusado de OxyContin2). Recentemente uma menina teve overdose de GHB3 (droga de festa que é uma droga, clara e inodoro que não combina com o álcool) no set. Eu vi uma garota ganhar uma premiação no Prêmio AVN, e não apareceu para receber o prêmio, e depois caiu nas garras das drogas, o que a levou a perder pelo menos 22kg e deixar a face da terra.”(4)

1 Pornô Gonzo: Nos Estados Unidos é o pornô focado em órgãos sexuais masculinos por horas a fio e a ejaculação de quatro ou mais homens sobre o rosto de uma mulher é também chamado de “Teatro da Crueldade” onde os produtores buscam capturar no filme sinais externos do sofrimento físico das atrizes como – desmaio, choro ou engasgos - uma vez que em última análise, a dor é muito mais "autêntica" para o espectador do que um prazer sexual simulado.

O OxyContin pode aliviar dores por até 12 horas, mas, em excesso, pode causar dependência química. Ácido Gamma-Hydroxybutyrico. De fato, a pornografia pode literalmente matá-lo. Desde o ano 2000, houve pelo menos 34 mortes relacionadas com drogas entre atores. (5) Drinks oferecidos como vodka e batidas de Percocet, anestesiam as mulheres o bastante para suportar atos sexuais ásperos de extrema humilhação. Quando o álcool não é suficiente a dor gira ao redor do vício, estrelas pornôs são enviados aos médicos locais em conspiração com a indústria pornográfica para receber prescrição de Vicodin, Xanax, Valium e outros medicamentos anti-ansiedade para ajudá-los a lidar com o trauma.

A ex-atriz pornô, Michelle Avanti lembra-se de sua primeira cena e como ela foi conduzida ao abuso de drogas por prescrição. “Eu tentei voltar atrás e sair do pornô, mas um ator disse que eu não poderia voltar atrás, porque eu havia assinado um contrato. Fui ameaçada de que se eu não fizesse a cena eu seria processada em uma enorme quantia em dinheiro. Acabei até tomando doses de vodka para fazer a cena. Como eu fazia mais e mais cenas, abusei da prescrição de pílulas que eram dadas a mim a qualquer momento por diversos médicos em San Fernando Valley. Me foi dado Vicodin, Xanax, Norcos, Prozac e Zoloft. Tudo que eu tinha que fazer era dizer a eles o que eu precisava, e eles me dariam qualquer coisa que eu quisesse.”(6)

Acha que estou exagerando sobre as operações da sombria indústria do pornô? Pense novamente. Graças à Internet que mostra no ABC 20/20, confissões de estupro, abuso de drogas e violência que estão se tornando cada vez mais públicas. A estrela pornô, Belladonna disse a Diane Sawyer: “Eu sempre odiei pornô”, confessou ela, que conta que enquanto se preparava para uma filmagem que achava que seria uma cena de sexo regular. Em vez disso, o diretor lhe pediu para fazer sexo anal. De acordo com a rede de televisão, ela tinha acabado de completar 18 anos. Poucos meses (e várias cenas) mais tarde, já uma veterana atriz pornô, Belladonna apareceu em outro estúdio. Ela foi informada de que apareceria em uma cena de estupro por uma gangue em uma prisão, e que seria compartilhada entre doze homens diferentes. Novamente, ela tentou sair. Mais uma vez, ela foi “convencida” a continuar.( 7)

Mas, você pergunta: “Não são as mulheres que escolhem fazer filmes pornô?” Com base nas imagens sexuais com que fomos alimentados à colheradas pela TV, revistas e Internet, com certeza nós escolhemos.

No começo dos anos de 1970, quando aprendemos a sair perseguindo nossos caminhos, desde nossas estrelas favoritas como Doc no The Love Boat todo o trajeto pelo Desperate Housewives da ABC, sendo os mais populares programas entre as crianças em 2005. (8) Sem mencionar "glamourosas" imagens de pornografia de pelúcia sendo enfiadas em nossas goelas abaixo. Não é surpresa que as crianças da América, que foram muito bem preparadas em imoralidade sexual há mais de 40 anos, acabam no MySpace ou Facebook baixando imagens sensuais de si mesmas. Onde mais poderia uma criança que foi hipersexualizada ter tanta atenção?

Mas os olheiros da pornografia ficam à espreita pesquisando online por anos os perfis e predando as fêmeas sexualizadas desavisadas.

Fingindo ser adolescentes ou admiradores do sexo masculino postam palavras lisonjeiras como, “você é a garota mais bonita” ou “você é tão quente”, e as adolescentes emocionalmente carentes rapidamente caem em sua armadilha. Alguns elogios mais tarde e uma boa oferta financeira, e nos encontramos em pé no meio de um escritório de agentes pornô ouvindo sobre “modelagem nu” e sexo anal. “Você será a próxima estrela pornô mais quente, se você fizer anal”, o agente pornô faz promessas ao entregar o contrato, enquanto uma loira de peitos grandes no canto da sala pisca para nós.

Dentro de alguns dias nós somos enviadas para a clínica médica da Indústria Adulta para fazer o teste de doenças sexualmente transmissíveis. De braços abertos e sorrisos calorosos, somos recebidas por equipes médicas acolhedoras e com calmas garantias de que nós seremos “mantidas seguras.” (9) À medida que começamos a nos sentir melhor sobre tudo, ouvimos atentamente outras estrelas pornô que compartilham suas dicas sobre como fazê-lo grandiosamente na terra do pornô. “Apenas relaxe o pescoço e respire pelo nariz. É muito divertido e fácil uma vez que você pega o jeito.”

Nunca há qualquer educação adequada sobre outras doenças sexualmente transmissíveis como no vídeo Pornô 101, que eu saiba, nenhum de nós jamais o assistiu. O engano é comum em todo o processo de preparação.

Alguns de nós, contraimos HIV como resultado desse engano grosseiro. (10) O ator pornô, Darren James lembra seu pesadelo de testes positivos de HIV em 2004, “Foi como um golpe no estômago”, disse James. “A vida era muito mais bonita.” (11)

A Dra. Sharon Mitchell, “doutora” para as estrelas pornô, pois anda por aí com um jaleco branco e não tem um diploma de medicina, afirma que entre os atores há, “menos de 7% de HIV, e de 12% a 28% têm DSTs. Herpes é sempre cerca de 66%. Clamídia e gonorréia, no entanto, juntamente com a hepatite, parecem se ater aos vibradores e superfícies planas para as mãos, por isso, perdoe a minha expressão, mas nós estamos até nossos traseiros com a Clamídia.” (12)

Mas a indústria pornô cresce até seu traseiro em muito mais do que isso de acordo com o Departamento de Saúde Pública de Los Angeles (DSPLA). Em Setembro de 2009, o DSPLA publicou relatórios surpreendentes de 2.396 casos de clamídia, 1.389 casos de gonorréia, e cinco casos de sífilis entre artistas pornô. Entre 2004 e 2008, repetidas infecções foram relatadas por 25,5% dos indivíduos. Também foi relatado que a prevalência de clamídia e gonorréia em artistas pornô é dez vezes maior em Los Angeles entre os contados com a idade de 20 a 24 anos e cinco vezes maior na Cidade de Los Angeles entre as maiores populações de risco.

No topo disso, 25 casos de HIV foram relatados pela Adult Industry Medical Healthcare Foundation (AIM) – (Fundação de Saúde Médica da Indústria Adulta) desde 2004. AIM é a clínica médica da indústria adulta que oferece serviços de testes e cuidados médicos exclusivos a estrelas da pornografia. Devido à falta de clínicas de testes para os talentos das telas, as infecções retais, orais e um nível elevado de doenças, persiste entre atores pornô. (13)

Além de ser coagidas, enganadas e repetidamente expostas a doenças incuráveis e potencialmente fatais, muitas mulheres experimentam graves prejuízos nas partes internas do corpo. A ex-atriz pornô Kami Andrews confessa que ama o dinheiro e o glamour do pornô, mas o que ela não gosta é o fato de que não está sendo capaz de defecar normalmente.

Você está constantemente fazendo enemas e você está jejuando e está tomando todas essas pílulas diferentes, e laxantes, e isso desparafusa seu sistema interno.” (14)

O trato intestinal é apenas o início de extremos danos corporais graves causados por atos anais. A experiência de muitas mulheres com outras doenças médicas, tais como prolapso do reto, uma condição terrível em que as paredes do reto se projetam para fora do ânus e, conseqüentemente, tornam-se visíveis fora do corpo. Eventualmente, o dano torna-se permanente - para o prazer da torcida de pornógrafos bestiais que têm criado uma maneira de transformar essa condição inominável em um “fetiche”.

Quando as estrelas pornô terminam um dia e vão para casa com machucados e os corpos sangrando, algumas de nós faz uma tentativa de ter um relacionamento saudável e normal, mas o nosso namoradinho cafetão fica com ciúmes e abusa fisicamente de nós.

Então, ao invés disso nos casamos com nossos diretores pornô ou regredimos de volta à infância e ficamos com os titios de 60 anos de idade. Eu preferia os titios porque eu desesperadamente queria o amor e a atenção do meu pai. Jenna Jameson, Jill Kelly, Rita Faltoyano, e Tera Patrick preferiram se casar dentro da indústria pornô e agora são todas vítimas do que a estrela pornô Tera Patrick chama de “maldição da pornografia.” Ela afirma em seu livro sobre o divórcio: “Eu não queria ser outra estatística do pornô.” (15)

Estrelas pornô não apenas não são boas esposas, mas nós miseravelmente falhamos como mães também. Nós gritamos, gritamos e batemos em nossos filhos sem nenhum motivo. Na maioria das vezes estamos intoxicadas ou altas, e os nossos pequenos de quatro anos de idade são os que recolhem nossos corpos sem vida que estão largados no chão.

Quando nossos clientes com grandes dólares veêm até nós para serem entretidos por nossos truques, trancamos nossos filhos em seus quartos e dizemos-lhes para ficarem quietos. Eu costumava dar à minha filha de quatro anos, um Bip e a fazia esperar no parque até que eu tivesse acabado. Para aquelas de nós que somos casadas, o papai não se importa de ser a babá das crianças enquanto estamos em nosso trabalho, que é ser penetrada por vários artistas do sexo masculino.

Claro que não, nossos maridos narcisistas, só se preocupam com o dinheiro do pornô. A verdade é que não há fantasias na pornografia. É tudo uma ilusão. Um olhar de perto e mais atento nas cenas da dura realidade da vida de uma estrela pornô vai mostrar-lhe um ato que a indústria pornô não quer que você veja. O verdade é que nós, atrizes pornô queremos acabar com a vergonha de nossas vidas e o trauma da bilheteria, mas não podemos fazer isso sozinhas. Precisamos de vocês homens, para lutar por nossa liberdade e nos devolver a nossa honra. Precisamos de vocês para manter-nos em seus braços fortes, enquanto nós soluçamos em lágrimas sobre as nossas feridas profundas e imploramos a cura.

Nós queremos que você jogue fora nossos filmes e nos ajude a juntar os fragmentos quebrados de nossas vidas. Precisamos de você para orar por nós, para que Deus ouça e repare nossas vidas arruinadas.

Não acredito na grande fantasia do Topo. Pornografia é nada mais do que sexo falso, contusões e mentiras em vídeo. Confie em mim, eu sei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário